PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Fortaleza avança e é a terceira capital mais transparente no enfrentamento a pandemia

Avaliação é feita por uma ONG e contabiliza dentre uma série de critérios o conteúdo, a forma e a regularidade com que as informações sobre a pandemia são repassadas pela administração pública para os cidadãos

Alan Magno
23:59 | 30/10/2020
A Capital encontra-se atrás de Manaus (AM) e de Macapá (AP) que são consideradas as capitais brasileiras mais transparentes diante das ações contra a Covid-19, com 100 pontos, enquanto Fortaleza soma 99 (Foto: AGÊNCIA GAZETA)
A Capital encontra-se atrás de Manaus (AM) e de Macapá (AP) que são consideradas as capitais brasileiras mais transparentes diante das ações contra a Covid-19, com 100 pontos, enquanto Fortaleza soma 99 (Foto: AGÊNCIA GAZETA)

Fortaleza voltou a ocupar o terceiro lugar do ranking que busca reconhecer e elencar as capitais e estados mais transparentes com relação às ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19. O levantamento feito durante o mês de outubro pela Organização Não Governamental (ONG) Open Knowledge Brasil avalia 26 critérios sobre conteúdo, forma e regularidade com que as informações sobre a crise sanitária são repassadas pela administração pública aos cidadãos.

LEIA TAMBÉM | Decreto da pandemia no Ceará não avança e tem restrições mantidas devido ao aumento de casos

Após avaliação dos critérios e criação de uma média, cada localidade recebe pontuação de 0 a 100, sendo 100 a pontuação que representa a máxima excelência e transparência nas ações feitas pelos entes públicos com relação ao combate, prevenção e tratamento dos casos de infecção pelo novo coronavírus.

Fortaleza encontra-se atrás de Manaus (AM) e de Macapá (AP) que são consideradas as capitais brasileiras mais transparentes diante das ações contra a Covid-19, com 100 pontos, enquanto Fortaleza soma 99. A pontuação da Capital teve aumento em 23 quesitos com relação ao levantamento anterior.

O avanço de Fortaleza, conforme a ONG destacou, se deve à recente adoção de parâmetros étnicos sociais de aferição, que passaram a apresentar detalhamento do número de infectados, recuperados e mortos pela doença entre os povos e etnias indígenas presentes na região.

Um maior detalhamento da disponibilidade e ocupação de leitos clínicos e de UTIs também ajudou a aumentar a pontuação da Capital, que ainda não atingiu o critério máximo de transparência por divulgar apenas parcialmente a quantidade de testes de diagnóstico pela Covid-19 que estão disponíveis para uso pelo governo municipal.

A mesma ONG classifica o Ceará também no segundo maior patamar dentre os critérios de transparência adotados. O Estado fica atrás de Amazonas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Rio Grande do Sul que somam 100 pontos, no topo do ranking.

O levantamento a nível estadual mais recente foi feito ainda na primeira semana do mês de outubro e apontou um avanço do Estado em 13 critérios de transparência. Um novo levantamento deve ser feito com os estados brasileiros no dia 11 de novembro e no dia 26 do mesmo mês para os municípios.

CONFIRA A POSIÇÃO E O NÍVEL DE TRANSPARÊNCIA DE CADA CAPITAL 

1º Manaus (AM) - 100
1º Macapá (AP) - 100
2º Fortaleza (CE) - 99
3º Vitória (ES) - 98
4º Natal (RN) - 97
5º Porto Velho (RO) - 95
6º João Pessoa (PB) - 94
7º Porto Alegre (RS) - 92
8º Maceió (AL) - 89
9º Salvador (BA) - 82
10º Florianópolis (SC) - 78
11º Curitiba (PR) - 72
12º Rio de Janeiro (RJ) - 70
13º Cuiabá (MT) - 60
14º Belo Horizonte (MG) - 58
14º Palmas (TO) - 58
15º Boa Vista (RR) - 56
16º Belém (PA) - 55
17º Recife (PE) - 53
18º São Luís (MA) - 50
19º Goiânia (GO) - 31
20º Rio Branco (AC) - 30
20º Campo Grande (MS) - 30
21º Aracaju (SE) - 24