PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Leonardo Da Vinci aumenta leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19

Entre o dia 22 e 27 de outubro, os leitos de UTI passaram de 20 para 30. Unidade dispõe de 68 leitos exclusivos para Covid-19 neste momento, mas tem capacidade para ativar até 195 leitos

15:23 | 27/10/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 22.10.2020: Hospital Leonardo da Vinci, movimentação em frente ao hospital de pessoas e ambunlancia. Em época de COVID-19.   (Foto: Aurelio Alves)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 22.10.2020: Hospital Leonardo da Vinci, movimentação em frente ao hospital de pessoas e ambunlancia. Em época de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves)

Em cinco dias, foram disponibilizados mais 10 leitos de terapia intensiva a pacientes com complicações da Covid-19 no Hospital Leonardo Da Vinci. O POVO apurou que, desde a semana passada, leitos que já estavam destinados à clínica médica, no segundo andar, estão sendo ocupados por pacientes com a doença. No início da manhã desta terça-feira, 27, os casos de coronavírus ocupavam 10 leitos de UTI e 24 de enfermaria no primeiro andar, além de outros 20 de UTI e 14 de enfermaria no segundo andar. 

Em nota, a Secretária de Saúde do Ceará (Sesa) confirmou que atualmente há 68 leitos exclusivos para atendimento à Covid-19, sendo 38 de enfermaria e 30 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A unidade tem capacidade para ativar até 195 leitos, dependendo da demanda. A Sesa não informou, entretanto, se houve aumento na demanda de leitos.

No dia 22, segundo dados da Sesa, os mesmo 68 leitos exclusivos para atendimento à Covid-19 estavam em operação, mas a divisão era diferente: 48 de enfermaria e 20 de UTI. 

LEIA MAIS: Hospital Leonardo da Vinci começa a realizar cirurgias e terá capacidade para 800 procedimentos por mês

A redução nos leitos destinados à Covid-19 no Leonardo Da Vinci vem acontecendo desde agosto. Em maio, a unidade hospitalar estava com 150 leitos de UTI e 66 leitos de enfermaria, todos para atendimento específico à Covid-19. A variação, como informado pela Secretaria da Saúde, é conforme a demanda e a evolução da curva (de casos). Assim, o hospital está "pronto para aumentar ou reduzir leitos e adequar o quantitativo às necessidades de internação".

Cirurgias eletivas

 

Desde a terça-feira, 13 de outubro, a unidade deu início às cirurgias eletivas, que de acordo com a pasta, têm como objetivo diminuir a lista de espera no Ceará. Até a semana passada, 45 pessoas já tinham sido operadas na unidade, que atende pessoas encaminhadas pela Central de Regulação.

Após o agendamento e realização da consulta, os pacientes fazem todos os exames necessários ao pré-operatório, incluindo o teste para Covid-19. Caso o resultado seja negativo, a cirurgia já é prontamente marcada. Se o exame for positivo, o paciente é orientado a ficar em isolamento em casa por 14 dias até estar recuperado e apto para realizar o procedimento cirúrgico.

Covid-19 no Ceará

 

A Região de Saúde de Fortaleza apresentou 743 novos casos de Covid-19 entre os dias 11 e 17 de outubro, um número que representa aumento de 72% em relação à semana epidemiológica anterior (SE 41), que corresponde aos dias entre 4 e 10 de outubro. No mesmo período, também houve aumento de 33,3% no número de óbitos, com oito mortes por conta da doença na região.

A média móvel do Estado, entretanto, aparece em queda segundo IntegraSus, plataforma da pasta da Saúde no Ceará. Na segunda-feira, 21, a média foi de 335, 7 de casos confirmados, quanto no dia 23, o valor foi de 285 casos confirmados. A metodologia é utilizada  para monitorar o avanço da doença e calcula o número de casos confirmados por um intervalo de sete dias dividido pelo número sete. 

LEIA MAIS: Entenda o cálculo da média móvel, que segue em queda no Ceará