PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Surto do vírus em Mianmar, na Ásia, aumenta temores pelos acampamentos dos rohingyas

oi ordenado na capital regional um toque de recolher noturno desde sexta-feira

10:36 | 23/08/2020

Rohingyas do Estado de Rakim em Mianmar expressaram, neste domingo, 23, sua preocupação de que o coronavírus se propague em seus acampamentos lotados, depois que uma série de contaminações provocou o confinamento da capital estatal.

Cerca de 130.000 rohingyas --membros de uma minoria muçulmana marginalizada em Mianmar-- habitam em condições classificadas como "apartheid" pela Anistia Internacional em acampamentos em torno da cidade de Sittwe.

A cidade registrou 48 casos na semana passada, o que representa mais de 10 por cento dos cerca de 400 casos registrados até agora em todo o país.

As autoridades visitaram nesta semana o acampamento de Thae Chaung, para falar sobre o distanciamento social --algo impossível, já que até dez famílias convivem em cada casa-- e distribuir máscaras.

As ruas de Sittwe estavam vazias neste domingo e os poucos pedestres, usando máscaras, encontraram ruas fechadas com barricadas.

Foi ordenado na capital regional um toque de recolher noturno desde sexta-feira. Todos os transportes públicos, incluindo os voos nacionais, foram suspendidos.