PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Banhistas terão de reservar espaço nas praias do Rio de Janeiro por aplicativo

Em 31 de julho, orla foi reaberta para esportes aquáticos e mergulhos, mas sentar na areia ainda não foi liberado. Apesar disso, multidões lotaram Copacabana e Ipanema nos últimos fins de semana

21:09 | 10/08/2020
Multidões lotaram Copacabana e Ipanema nos últimos fins de semana (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Multidões lotaram Copacabana e Ipanema nos últimos fins de semana (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta segunda-feira, 10, que, para conter a disseminação da Covid-19, os banhistas terão de reservar um espaço na areia com antecedência por meio de um aplicativo.

Crivella afirmou que as praias do Rio só seriam totalmente reabertas com áreas claramente demarcadas para manter o distanciamento social. Mas, a implementação da medida pode ser difícil em uma cidade onde a areia já vem sendo tomada nas últimas semanas, apesar da ameaça de uma multa de R$ 107.

"As pessoas vão poder ocupar essas demarcações pelo horário que chegarem e também reservando no aplicativo", disse Crivella em entrevista coletiva. "A ideia é que assim a gente consiga organizar melhor o que hoje não está bom."

As praias do Rio foram fechadas em março para combater a disseminação do novo coronavírus, que matou mais de 100.000 pessoas no Brasil, o segundo maior número de mortos na pandemia, depois dos Estados Unidos.

O governador do Rio, Wilson Witzel, admitiu na época que a medida equivalia a uma "heresia" em um lugar conhecido por seu amor à praia. Com mais de 14.000 mortes, o estado do Rio foi mais atingido pelo vírus do que qualquer outro no Brasil, com exceção de São Paulo.

Em 31 de julho, Crivella reabriu a orla para esportes aquáticos e mergulhos, mas sentar na areia ainda não foi liberado. Apesar disso, multidões lotaram Copacabana e Ipanema nos últimos fins de semana, tomando banho de sol, jogando futebol e contemplando as paisagens.

Crivella não definiu uma data para a reabertura, dizendo que as autoridades divulgariam mais detalhes em breve. Em julho, o prefeito afirmou que só permitiria que as pessoas voltassem à praia quando houvesse uma vacina contra o coronavírus.

Outras praias também experimentaram a tecnologia para reabrir. A Espanha está usando drones, a Bélgica utiliza sensores e rastreadores de localização de telefones celulares e vários lugares estão pedindo aos banhistas que reservem por meio de sites ou aplicativos.

O Rio também autorizou conferências de negócios e eventos corporativos novamente, com efeito imediato. Em 29 de julho, o Brasil, ainda em batalha contra o vírus, reabriu para visitantes estrangeiros que chegam de avião após uma suspensão de quatro meses, na esperança de reanimar o turismo devastado pelos bloqueios.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >