PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Um mês na UTI: suboficial da reserva da Marinha do Brasil é homenageado após se recuperar de Covid-19

Amigos da Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco, da turma de 1989, se reunirão em frente à casa do suboficial em Fortaleza

Catalina Leite
15:38 | 01/08/2020

Carlos Renato é diabético, tem problemas renais e hipertensão, além de ser operado por hérnia de disco e sobrepeso (Foto: Arquivo pessoal)
Carlos Renato é diabético, tem problemas renais e hipertensão, além de ser operado por hérnia de disco e sobrepeso (Foto: Arquivo pessoal)

No Ceará, pelo menos 175.928 famílias estão ou estiveram preocupadas com a recuperação dos parentes confirmados para Covid-19. Dessas, 145.603 tiveram a felicidade de ver pais, mães, avós e avôs, filhos e filhas e amigos recuperados do novo coronavírus, doença ainda sem tratamento específico. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), atualizados às 9h15min deste sábado, 1º de agosto.

O alívio, no entanto, tem como histórico dias e até meses de medo e isolamento tanto para os doentes, quanto para os familiares. É o caso do suboficial da reserva da Marinha Carlos Renato da Rocha, que passou 30 dias internado em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com Covid-19, em Fortaleza.

Grupo de risco por ser diabético, ter problemas renais e hipertensão, além de ser operado por hérnia de disco e sobrepeso, a recuperação de Carlos Renato emociona amigos da Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco (EAMPE), cursada em 1989/1990.

Para comemorar a vitória do companheiro e homenagear aqueles “irmãos que sucumbiram a batalha para a pandemia”, a Turma Índia Uno (formada pelos ex-alunos do EAMPE) irá surpreender Carlos Renato em frente à casa do recém-recuperado na tarde deste sábado, 1º, às 16h.

As reuniões da Turma Índia Uno, antes da pandemia, ocorriam anualmente. O suboficial Carlos Renato está posicionado bem no centro da foto, atrás do homem de blusa preta
As reuniões da Turma Índia Uno, antes da pandemia, ocorriam anualmente. O suboficial Carlos Renato está posicionado bem no centro da foto, atrás do homem de blusa preta (Foto: Aquivo pessoal)

“Já se passaram 30 anos [desde a Turma Índia Uno], vamos matar as saudades, reavivar as lembranças, recontar as histórias, rever os amigos, sorrir e às vezes chorar, pelos vários motivos. Vamos celebrar a vida e lembrar os bons e velhos tempos”, conta, em nota, o ex-aluno da EAMPE Roberto Viana Teixeira.

Turma Índia Uno

Todos os anos, os amigos formados na época da Turma Índia Uno se reencontram nos quatro cantos do Brasil. Em 2021 será a vez do Ceará, Estado no qual residem a maioria dos colegas. Com a pandemia, no entanto, os encontros foram suspensos, seguindo as medidas de isolamento social necessárias para desacelerar a propagação do vírus.