PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Cientistas identificam duas linhagens do novo coronavírus em felinos do Zoológico do Bronx

Segundo o estudo, a infecção dos animais tem - provavelmente - origens diferentes por conta da variação das linhagens

Neto Ribeiro
12:57 | 24/07/2020
Nos leões, o contágio não tem origem conhecida. (Foto: Reprodução/Facebook/Zoológico do Bronx)
Nos leões, o contágio não tem origem conhecida. (Foto: Reprodução/Facebook/Zoológico do Bronx)

Um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos encontrou duas linhagens do novo coronavírus, o Sars-CoV-2, em tigres e leões do Zoológico do Bronx, localizado em Nova York. A descoberta foi publicada - ainda como prévia, precisando ser analisada por outros cientistas - na quinta-feira, 23, no site bioRxiv, endereço que abriga várias pesquisas sobre o vírus causador da Covid-19.

Os cientistas descobriram as duas cepas do coronavírus após sequenciarem o material genético do vírus retirado da amostra sanguínea dos animais. Segundo o estudo, a infecção dos animais tem - provavelmente - origens diferentes por conta da variação das linhagens.

Nos leões, o contágio não tem origem conhecida. Já nos tigres, a infeção ocorreu possivelmente pelo contato com cuidadores. Ao todo, o zoológico reconheceu em março que quatro tigres e três leões apresentaram leves sintomas da Covid-19 (causada pelo novo coronavírus).

Os felinos foram testados e o "DNA" do vírus (o RNA) foi constatado nas secreções dos animais. O Sars-CoV-2 também foi identificado nas fezes dos bichos. Apesar de ter origem desconhecida, a cepa encontrada nas amostras dos leões é similar ao tipo encontrado nos tigres e nos cuidadores. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda não há evidências de que o novo coronavírus possa ser transmitido por animais.

Cuidadores e funcionários do zoológico afirmaram que sentiram sintomas da Covid-19 e após passarem por testes foi constatada a presença de anticorpos no organismo.