PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Número de pessoas com sintomas de síndromes gripais no Ceará apresenta queda de 51,6% em junho

O estudo, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), levou em consideração principalmente indícios ligados ao novo coronavírus

Gabriela Almeida
16:14 | 23/07/2020
Ceará registra queda no número de pessoas com sintomas de síndromes gripais (Foto: Barbara Moira)
Ceará registra queda no número de pessoas com sintomas de síndromes gripais (Foto: Barbara Moira)

O número de pessoas com sintomas de síndromes gripais no Ceará apresentou queda de 51,6% em junho quando comparado ao mês anterior, conforme Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad - Covid-19), divulgada nesta quinta-feira, 23. O estudo, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), levou em consideração principalmente indícios ligados ao novo coronavírus.

De acordo com pesquisa, o Estado tinha 732 mil pessoas com algum dos sintomas de síndromes gripais em junho, quando em maio o número era de 1,5 milhão. Entre as perguntas feitas à população, o questionário indagava se na semana anterior àquela os moradores haviam apresentado sintomas como febre, tosse ou dor de garganta, comuns para pessoas com Covid-19 ou outras infecções virais.

| LEIA MAIS |

No Ceará, casos confirmados de Covid-19 são 38% do total de exames realizados

Câmeras térmicas podem ser usadas para identificar casos suspeitos de coronavírus

Leitos de UTI para Covid-19 reduzem 33% em Fortaleza

Entre os participantes, 151 mil pessoas afirmaram ter sentido perda de cheiro ou de sabor, dificuldade para respirar e demais manifestações ligadas à presença da Covid-19 no organismo. Em comparação a maio, esse resultado apresentou queda de 65,2% na recorrência.

Em contrapartida, o número de pessoas que buscam por atendimento em estabelecimento de saúde vem subindo. Cerca de 16,3% dos entrevistados que apresentaram algum dos sintomas de síndromes gripais afirmaram buscar ajuda médica, enquanto esse mesmo percentual foi de apenas 14,8% em maio.