PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Câmeras térmicas podem ser usadas para identificar casos suspeitos de coronavírus

Tecnologia, criada para aplicações militares e de resgate, ganhou nova função durante a pandemia de Covid-19

Bemfica de Oliva
20:51 | 22/07/2020
Equipamentos como este, instalado no terminal do Antônio Bezerra, podem detectar pessoas com febre em locais de circulação pública (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza)
Equipamentos como este, instalado no terminal do Antônio Bezerra, podem detectar pessoas com febre em locais de circulação pública (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza)

As câmera térmicas não são exatamente uma novidade no mercado de segurança. Usadas desde os anos 1980 por militares, e, mais recentemente, por bombeiros e técnicos de manutenção, na última década empresas de vigilância têm oferecido o produto aos clientes como solução avançada para a detecção de intrusos.

Com a pandemia do novo coronavírus, que já contaminou mais de 2,2 milhões de pessoas e levou mais de 80 mil a óbito somente no Brasil, esses equipamentos ganharam novo uso: detectar possíveis casos de Covid-19 em espaços de alta circulação de pessoas.

De forma similar aos termômetros sem contato que têm sido usados em muitos comércios, hospitais e órgãos públicos, as câmeras térmicas medem a temperatura com base na luz infravermelha emitida por pessoas, animais e objetos. Quanto mais quente, maior a quantidade de radiação liberada pelos corpos. Enquanto os termômetros mostram apenas a temperatura, no entanto, as câmeras transformam essa informação em uma imagem, com cores indicando as faixas de calor.

No ramo militar, essa técnica é usada em operações furtivas, realizadas à noite, para evitar detecção dos soldados. Bombeiros contam com o auxílio das imagens térmicas para encontrar vítimas de desastres como desabamentos, e também no combate a incêndios. Técnicos de manutenção, por sua vez, podem identificar equipamentos defeituosos que estejam superaquecendo, mesmo que as partes com problema se encontrem dentro de paredes. No ramo da segurança, a aplicação mais comum é detectar corpos que emitem calor, como humanos e animais, dentro de propriedades particulares.

Para o combate ao coronavírus, as câmeras são usadas pela capacidade de indicar com precisão a temperatura de um indivíduo. Se instaladas em um shopping center, por exemplo, pessoas que estejam com febre aparecerão em cor mais clara que as saudáveis. Como a febre é um dos principais sintomas da Covid-19, o equipamento permite identificar em tempo real casos suspeitos da doença e tomar medidas de prevenção de contato.

No Ceará, empresas de segurança eletrônica têm oferecido câmeras térmicas importadas como diferencial para clientes corporativos. É possível também comprar os equipamentos pela internet, havendo inclusive fabricantes nacionais. Dispositivo deste tipo foram instalados, no mês passado, na entrada do terminal do Antônio Bezerra e no Instituto Doutor José Frota (IJF).