PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Estudo aponta que máscaras de nanofibra podem ser reutilizadas após higienização

Em experimentos, a eficácia de proteção de máscaras de nanofibra não foi reduzida após até 10 lavagens com álcool 75%

20:26 | 06/07/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 18.06.2020: Pessoas nas ruas de Fortaleza usando máscaras.   (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio lima)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 18.06.2020: Pessoas nas ruas de Fortaleza usando máscaras. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: Fabio lima)

Mesmo com a disseminação da utilização de máscaras pela população, ainda há dúvidas sobre a melhor forma de higienizá-las sem que a sua capacidade de proteção seja prejudicada. Sobre o tema, pesquisadores asiáticos, de Coreia do Sul e Japão, realizaram estudo sobre o uso de álcool para limpar máscaras de nanofibra, e concluíram que elas conseguem conservar o potencial de proteção, levando em conta a eficiência da filtragem, a taxa de fluxo do ar e propriedades do material após a limpeza.

O teste foi feito em máscaras N95 com filtro fundido, e naquelas confeccionadas em nanofibra. No primeiro momento do teste, os pesquisadores pulverizaram o álcool 75% nas máscaras, deixando secar. Paralelamente, ainda mergulharam em álcool 75%, deixando secar no ar após o experimento.

Como resultado, foi notado que as técnicas de limpeza podem ser bastante eficazes. Na máscara N95 com filtro fundido, foi percebida diminuição de até 64% na capacidade de proteção. Já a de nanofibra continuou apresentando alta eficiência de proteção quando reutilizadas 10 vezes, sendo limpas com spray de álcool ou em uma imersão em uma solução de álcool por 24 horas.

A pesquisa concluiu que o resultado se deu por conta da diferença da utilização de eletricidade estática nos materiais, que são responsáveis pela filtragem de partículas na máscara N95. A máscara de nanofibra, que não utiliza essa eletricidade para filtrar, mas sim poros em sua superfície, que não são afetados pelo álcool. Logo, as duas máscaras apresentam uma eficiência de proteção contra o vírus e partículas transmissíveis, porém, somente as de nanofibra continuam com a sua eficácia após a higienização com álcool.

O estudo completo pode ser verificado, em inglês, através do link.