PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

EUA cancelam desfiles de 4 de julho por causa do novo coronavírus

Na véspera, presidente Trump fez discurso criticando manifestações antirracistas de "campanha impiedosa para acabar com a nossa história"

10:43 | 04/07/2020
Donald Trump participou de solenidade no Monte Rushmore, na véspera do Dia da Independência, e no seu discurso criticou protestos antirracistas nos Estados Unidos (Foto: SAUL LOEB / AFP)
Donald Trump participou de solenidade no Monte Rushmore, na véspera do Dia da Independência, e no seu discurso criticou protestos antirracistas nos Estados Unidos (Foto: SAUL LOEB / AFP)
Os Estados Unidos iniciaram o fim de semana de 4 julho, quando é comemorado o Dia da Independência, com uma série de desfiles cancelados, após as autoridades de saúde terem alertado que o feriado seria um teste crucial para o autocontrole dos americanos.
O país está vivendo uma segunda onda de infecções pela doença, com o aumento dos casos em 40 estados norte-americanos, que totalizaram nesta sexta-feira (3) 52.300 novas infecções, de acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins.
Na sexta-feira, véspera do "Independence day", o presidente Donald Trump fez um apelo direto aos eleitores que estão descontentes, acusando os manifestantes que participaram do movimento racial no último mês de se envolverem em uma "campanha impiedosa para acabar com a nossa história".
A afirmação foi feita em discurso durante um evento no Monte Rushmore, na Dakota do Sul. O evento contou com fogos de artifício e atraiu milhares de apoiadores, a maioria sem máscaras, desrespeitando as orientações de saúde em meio à uma segunda onda da pandemia do novo coronavírus.
Na ocasião, o presidente comentou sobre o fato de alguns manifestantes terem atingido monumentos e estátuas em todo o país, com a justificativa de que eram homenagens aos que se beneficiaram com a escravidão.
"Este movimento está atacando abertamente os legados de todas as pessoas no Monte Rushmore", disse Trump. Ele também acusou a esquerda política de "difamar nossos heróis, apagar nossos valores e doutrinas nossos filhos", acrescentando que os americanos precisam se orgulhar da sua herança e não pedir desculpas por sua história.
Durante o discurso, Trump anunciou também que estava assinando uma ordem executiva para estabelecer o Jardim Nacional dos Heróis Americanos, um parque ao ar livre contará com as estátuas dos "maiores americanos da história", disse ele.