PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Se ele quiser visitar os nossos hospitais, eu mesmo mostro para ele", responde governador do Maranhão a Bolsonaro

Declaração foi dada após o presidente Bolsonaro incentivar pessoas a entrarem em hospitais para verificar a ocupação dos leitos

12:14 | 12/06/2020
Flávio Dino (Foto: Divulgação)
Flávio Dino (Foto: Divulgação)

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), respondeu na noite desta quinta-feira, 11, as declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que incentivaram as pessoas a entrarem em hospitais para verificar a ocupação. Segundo o governador, as portas estariam abertas para o chefe do Executivo e ele mesmo mostraria a situação hospitalar.

"Basta verificar os boletins que os governos estaduais publicam com o número de leitos ocupados. E se ele quiser visitar os nossos hospitais, eu mesmo mostro para ele", escreveu Dino em uma rede social.

LEIA MAIS| Brasil ultrapassa Rússia e é segundo país com mais casos de coronavírus no mundo

Ele se dirigiu à Bolsonaro como uma "pessoa despreparada e desesperada". Durante a live, nesta quinta-feira, 11, Bolsonaro incentivou que as pessoas "arranjem uma maneira de entrar e filmar" hospitais de campanha. Segundo ele, seria uma forma de comprovar se os gastos estariam sendo compatíveis com a ocupação dos leitos. "Tem um hospital de campanha perto de você, tem um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente tem que fazer, para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não. Isso nos ajuda", disse.

Em resposta Dino também condenou o incentivo. "Bolsonaro não pode mandar invadir hospital e filmar locais onde estão pacientes e profissionais trabalhando. E também não pode mandar extraoficialmente nada para Polícia Federal. Se manda, tem que ser por ofício assinado. E ABIN não pode investigar, afirmou na postagem.