Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Projeto entrega mais de dois milhões de máscaras em Fortaleza

Distribuição acontece em bairros com baixo IDH e com mais casos da Covid-19. Agentes de segurança pública, estudantes e profissionais da limpeza também são beneficiados
11:09 | Jun. 10, 2020
Autor Marcela Tosi
Foto do autor
Marcela Tosi Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Para a evitar a propagação da Covid-19 em Fortaleza, uma iniciativa do poder público junto ao trabalho de costureiras e microempresas já entregou mais de dois milhões de máscaras de tecido. Na manhã desta quarta-feira, 10, quatro mil desses equipamento de proteção foram entregues a moradores da comunidade Serviluz, no bairro Cais do Porto. A ação, que faz parte do Projeto Todos com Máscara, acontece em bairros com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e que apresentam mais casos da doença.

“A máscara é uma das principais barreiras contra a transmissão do coronavírus. Além da lavagem das mãos e do isolamento social, ela é importante por evitar que o vírus se espalhe através da tosse ou do espirro”, enfatiza Rui de Gouveia, coordenador das Redes de Atenção Primária e Psicossocial de Fortaleza. “É importante que todos cumpram essas recomendações para que possamos ter uma proteção coletiva da nossa sociedade”, completa.

De acordo com a Prefeitura, por serem de tecido, todas as máscaras são laváveis e reutilizáveis. Os equipamentos são entregues em embalagens com duas unidades e acompanham um manual de orientação. Desde o dia 20 de abril, as ações ocorrem na medida em que as proteções faciais são entregues pelos profissionais credenciadas no projeto. Ao todo, serão produzidos três milhões de máscaras de tecido.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nas ações, agentes de saúde se distribuem entre as vias das comunidades para entregar as máscaras de porta em porta. Ao se identificarem, os servidores pedem informações sobre quantas pessoas moram na casa, entregam os kits e instruem sobre a necessidade de uso. Além disso, também explicam que os equipamentos devem ser lavados.

 

Também fazem parte do público beneficiado estudantes da rede pública, beneficiários dos Programas Comida em Casa e Renda em Casa, agentes de segurança pública, profissionais da limpeza e agentes de cidadania. Parte das máscaras produzidas pelo projeto é destinada para distribuição em ações de intervenção e fiscalização em aglomerações registradas na Capital. De acordo com a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), apenas nos arredores de agências bancárias e casas lotéricas, são distribuídas cerca de 5 mil máscaras por dia nas abordagens educativas.

Segundo anúncio publicado no dia 20 de abril pela Prefeitura, foram selecionados por meio de edital 1.690 profissionais de costura e 30 microempreendedores individuais e microempresas. Os credenciados estão em 81 bairros da Capital e recebem “a título de incentivo, o material (tecido, linha e elástico) necessário para a produção das máscaras”. Ainda segundo o anúncio, as costureiras selecionadas receberam R$ 400 e deveriam fornecer 900 máscaras cada; já cada microempresa recebeu R$ 16.930 e deve entregar 49.200 equipamentos de proteção.

Os recursos destinados ao projeto totalizam R$ 1.183.900, oriundos do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico. A ação é uma iniciativa da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE) em parceria com a Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) e a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova). A iniciativa também conta com o apoio do Governo do Estado do Ceará, da Fundação Edson Queiroz/Universidade de Fortaleza e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Ceará).

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags