PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Segunda onda da Covid-19 pode levar PIB do Brasil a cair 9,1%

Para a OCDE, a recuperação da economia será lenta e parcial, e alguns empregos e empresas serão perdidos

12:10 | 10/06/2020
Os trabalhadores da montadora Fiat Chrysler Automobiles constroem um modelo Argo 2020, em meio à disseminação da doença por coronavírus (COVID-19), na fábrica de montagem em Betim (Foto: REUTERS/Washington Alves)
Os trabalhadores da montadora Fiat Chrysler Automobiles constroem um modelo Argo 2020, em meio à disseminação da doença por coronavírus (COVID-19), na fábrica de montagem em Betim (Foto: REUTERS/Washington Alves)

A economia brasileira deve apresentar queda de 7,4% neste ano, segundo previsão da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Essa retração pode ser ainda maior, se houver uma segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus ( que causa a Covid-19), chegando a 9,1% de queda do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país).

Segundo relatório publicado nessa quarta, 10, pela OCDE, a economia brasileira estava finalmente se recuperando de uma longa recessão quando veio o surto da Covid-19. E agora, a previsão é que a economia sofra uma recessão ainda mais profunda, diz a organização.

Para a OCDE, a recuperação da economia será lenta e parcial, e alguns empregos e empresas serão perdidos. "O desemprego vai bater recorde histórico antes de recuar gradualmente", avalia.

Para 2021, a previsão é de crescimento de 2,4% do PIB, no cenário com duplo surto de Covid-19. No cenário com apenas uma onda de contaminação, a previsão de expansão para o próximo ano é 4,2%.

Mundo

A previsão da OCDE para a queda da economia mundial é de 6% neste ano, em caso de controle do surto da Covid-19, com crescimento de 5,2%, em 2021. Se houver uma segunda onda de contaminação, a projeção de queda é 7,6%, em 2020, e expansão de 2,8% em 2021.