PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Continuidade da reabertura "depende do comportamento de cada um de nós", afirma Camilo

Governador do Ceará comentou sobre a continuação do plano de retomada das atividades não essenciais durante transmissão ao vivo pelas redes sociais

Alan Magno
20:24 | 09/06/2020
 Shoppings de Fortaleza abrem com menor capacidade e com muitos cuidados na primeira etapa de reabertura do comercio.  (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Shoppings de Fortaleza abrem com menor capacidade e com muitos cuidados na primeira etapa de reabertura do comercio. (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

A continuidade do plano de reabertura dos serviços não essenciais em Fortaleza e nas demais regiões do Ceará “depende do comportamento de cada um de nós”, afirma Camilo Santana (PT), governador do Estado. O chefe do Executivo estadual comentou sobre a continuidade do plano de "Reabertura Responsável" nesta terça-feira, 9, segundo dia da primeira fase de retomada de atividades econômicas na Capital. Na live via Facebook, ele reforçou que as próximas fases somente ocorrerão se houver cooperação do povo.

LEIA MAIS | Comércios e shoppings que não seguirem protocolos para evitar aglomeração poderão ser interditados

O governador frisou que caso a atual fase seja marcada por crescimento do número de casos suspeitos e confirmados, bem como de registros de mortes por coronavírus, as demais fases não irão ocorrer. Nos primeiros dias de reabertura na Capital, aglomerações, tumultos e congestionamentos foram registrados. No Centro, houve circulação de 105 mil pessoas, equivalente a 30% da estimativa normal de 305 mil pessoas por dia. “Fiquei profundamente preocupado com as imagens que vi”, destacou sobre os pontos de aglomeração.

>> Em dia de reabertura, shoppings de Fortaleza registram aglomerações

Camilo pontuou que Fortaleza era a única cidade cearense a ter sido autorizada a iniciar a primeira fase de reabertura. Demais regiões seguem em fase de transição, e outras, como a região norte do Estado, novo foco da pandemia no Ceará, com isolamento social rígido. Até o dia 22 de junho, a situação do cumprimento das orientações governamentais e a evolução do quadro de coronavírus serão monitoradas para determinar se é possível avançar na retomada das atividades produtivas. O governador pediu colaboração das pessoas.

“Somente foi possível se chegar nestas propostas de reabertura graças ao isolamento e aos cuidados que tivemos antes”, frisou Camilo. Ele destaca que embora tenha se iniciado a flexibilização das medidas de isolamento, este ainda está em vigor. O uso de máscaras continua obrigatório em todo o Ceará e a ocupação de espaços públicos como praças, praias e calçadões continua proibida. Caso as diretrizes de reabertura gradual não sejam respeitadas, a flexibilização das medidas restritivas deverá ser interrompida.