PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Cada dia sem distanciamento social aumenta em 2,4 dias surto de Covid-19, diz estudo

As descobertas são aplicáveis tanto às comunidades que vivem seus primeiros surtos do novo coronavírus quanto àquelas em que podem surgir ondas secundárias da doença

13:40 | 04/06/2020
As pesquisas identificaram que o corpo humano tem produzido anticorpos específicos para combater a proteína Spike, responsável por ajudar o vírus a invadir a célula humana (Foto: AFP)
As pesquisas identificaram que o corpo humano tem produzido anticorpos específicos para combater a proteína Spike, responsável por ajudar o vírus a invadir a célula humana (Foto: AFP)

Cada dia sem distanciamento social em determinada região aumenta em 2,4 dias o surto por Covid-19. O dado é de uma nova pesquisa da Universidade do Texas, nos Estados Unidos. A informação está sendo avaliada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA e será publicada no periódico Emerging Infectious Diseases. Informações são da Revista Galileu.

O estudo avaliou os surtos do novo coronavírus em 58 cidades chinesas considerando quando foram detectados os primeiros casos de Covid-19 nessas áreas, a data em que foram implementadas medidas de distanciamento social e o momento em que o surto foi controlado.

Lauren Ancel Meyers, coautora do estudo, disse em comunicado que as medidas de distanciamento e isolamento todos os dias "economizam tempo, economizam esforço, salvam pessoas infectadas e provavelmente salvam vidas". "Isso é particularmente importante para pensarmos nas próximas semanas e meses", afirmou.

As descobertas são aplicáveis tanto às comunidades que vivem seus primeiros surtos do novo coronavírus quanto àquelas em que podem surgir ondas secundárias da doença. Segundo os especialistas, esperar uma semana após os primeiros sinais do ressurgimento de casos da Covid-19 pode exigir mais 17 dias de distanciamento social para retardar a propagação da pandemia.

Leia também | Pesquisa investiga fatores de influência no contágio da Covid-19 em Fortaleza

"O impacto desses 'atrasos' pode ser particularmente importante para comunidades propensas à transmissão rápida, como casas de repouso, faculdades, escolas e prisões", observou Spencer Fox, que também participou da análise. "Precisamos de planos concretos para quando e como responder a casos crescentes [da doença] e evitar restrições desnecessariamente longas e caras."

O estudo não conseguiu determinar quais medidas de distanciamento social são mais eficazes, mas mostrou que o momento da primeira intervenção, independentemente do tipo, tem grande impacto. "Fornecemos evidências diretas, baseadas em dados, de que o momento das intervenções tem um impacto substancial na duração e gravidade do surto", explicou Meyers.

Confira aqui comunicado completo

Ainda conforme análise, os lugares que demoravam mais para começar a implementar medidas de distanciamento social passavam mais tempo com o vírus se espalhando rapidamente do que outros que agiam mais rapidamente.

Sobre o estudo

Para determinar quando um surto foi contido, os cientistas analisam a contagem de casos e determinam o número de reprodução, uma medida que mostra quantas pessoas serão infectadas por uma pessoa infectada. Se o número de reprodução cair abaixo de 1, os cientistas consideram o surto contido.

Outros estudos sobre o impacto do adiamento das medidas de distanciamento social usaram a modelagem para estimar uma ligação entre o tempo das medidas tomadas e o efeito nos surtos. Por outro lado, este estudo usou dados no terreno para determinar a ligação entre as cidades que tomam medidas para conter o vírus e as taxas de propagação do vírus.