PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Reabertura em Fortaleza: chega a 24 número de estabelecimentos fechados por funcionamento sem autorização

As ações foram realizadas pela Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), que também já abordou 82 ambulantes por atuação irregular

Alan Magno
20:59 | 02/06/2020
Agefis fiscaliza os estabelecimentos que cumprem ou descumprem o decreto estadual de isolamento (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Agefis fiscaliza os estabelecimentos que cumprem ou descumprem o decreto estadual de isolamento (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

No segundo dia de reabertura do setor produtivo no Ceará, nesta terça-feira, 2, 13 estabelecimentos foram fechados por estarem funcionando sem fazer parte dos setores autorizados a reabrir pelo decreto estadual de “Reabertura Responsável”. As ações foram realizadas pela Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis).

Além dos estabelecimentos fechados, cerca de 42 ambulantes que estavam em praças e calçadas foram orientados a se retirar. Além disso, 20 pontos de aglomerações foram constatados e também receberam intervenções pelos agentes de fiscalização.

Desde o primeiro dia de reabertura do comércio no Ceará, 24 estabelecimentos foram fechados e 82 ambulantes abordados pelos fiscais pelo mesmo motivo. Os estabelecimentos fechados nesta terça-feira, 2, fazem parte de diversos nichos de comércio como lojas de roupas, de eletrônicos, materiais de couro e de artigos do lar, além de bancas de revistas.

>> No 1º dia de reabertura, Fortaleza registra 11 comércios fechados e 40 ambulantes abordados por atuarem sem autorização

Quanto aos pontos de aglomeração de pessoas registrados hoje, 2, a Agefis destacou a ação realizada em dois supermercados nos bairros Vicente Pinzón e Mucuripe. As lojas recebiam grande fluxo de pessoas sem nenhum controle, desrespeitando a obrigação de só permitir a entrada de uma pessoa por família. No Vicente Pinzón, uma feira ao ar livre também foi encerrada.

Em outra parte da Capital, no trecho da avenida Beira Mar entre o Mercado dos Peixes e a Praia de Iracema, cerca de 30 pessoas foram abordadas pelos fiscais da Agefis, que atuam com apoio da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Duas obras sem autorização também foram alvo de fiscalização. As construções estavam localizadas na rua Marcos Macêdo e na avenida Duque de Caxias.

“O principal foco das ações é a parte da orientação, da conscientização das pessoas abordadas”, pontuou o diretor de operações da Agefis, Neuvani Vasconcelos. Durante as abordagens, além das atividades de conscientização, são distribuídos frascos de álcool em gel e máscaras de tecido, por meio do projeto “Todos com Máscara”. Programa entrega média diária de 5 mil máscaras. Cada pessoa abordada recebe duas unidades do material de proteção.

>> Veja quais empresas poderão reabrir no Ceará em cada fase do plano do governo

Desde a implementação do isolamento social em Fortaleza, no dia 8 de maio, a Agefis já realizou 1.273 ações de monitoramento e dispersão de aglomerações. São realizadas diariamente pelos fiscais média de 64 operações para impedir o funcionamento de feiras na Capital. O monitoramento constante de agências bancárias e casas lotéricas também faz parte das atividades de fiscalização, 20 locais do gênero recebem ações diárias. Por dia, cerca de 2.500 pessoas são abordadas em aglomerações nestes locais.