PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Hoje, todo cidadão fortalezense tem o dever de permanência domiciliar", diz André Costa

O secretário disse também que a pasta finaliza a implementação de um aplicativo móvel para reforçar o monitoramento na Capital

Lais Oliveira
12:55 | 08/05/2020
FORTALEZA-CE, BRASIL, 07-05-2020: Secretário de segurança, André Costa. Operação da secretaria de segurança do Estado com blitz na Av. Aguanambi para informar cidadãos sobre as restrições mais rígidas que passam a valer a partir da sexta feira em Fortleza. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)
FORTALEZA-CE, BRASIL, 07-05-2020: Secretário de segurança, André Costa. Operação da secretaria de segurança do Estado com blitz na Av. Aguanambi para informar cidadãos sobre as restrições mais rígidas que passam a valer a partir da sexta feira em Fortleza. ( Foto: Júlio Caesar / O Povo) (Foto: JÚLIO CAESAR)

O lockdown decretado em Fortaleza, epicentro da Covid-19 no Ceará, vigora a partir desta sexta-feira, 8. Durante entrevista à Rádio O POVO/CBN, o titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS), André Costa, afirmou que "hoje, todo cidadão fortalezense tem o dever de permanência domiciliar". O secretário disse também que a pasta finaliza a implementação de um aplicativo móvel para reforçar o monitoramento das pessoas que saem de casa na Capital.

O aplicativo já é utilizado pela Polícia e será fornecido também para a GMF e para a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) com nova funcionalidade. O dispositivo poderá ajudar em casos de difícil comprovação permitida pelo decreto, como as idas ao supermercado ou a farmácias.

Conforme André Costa explica, a ferramenta deverá receber dados em tempo real da população que sai às ruas. "Vamos alimentar com os dados dos cidadãos e isso vai ficar em uma base para ser analisado por outras equipes. Então a gente vai verificando o deslocamento da pessoa, se ela ta alegando que está indo ao supermercado, mas parando em blitzes diferentes", disse.


Uso obrigatório de máscaras

André Costa reiterou que as pessoas que forem paradas sem máscaras serão orientadas a voltar para casa. O uso do equipamento agora é obrigatório no Estado. "Existem duas exceções no decreto, se a pessoa se enquadra em uma delas, terá de explicar em qual e comprovar com documento", destacou.

Nenhuma condução até delegacia foi registrada ainda por descumprimento do decreto que estabelece o lockdown. Na manhã desta sexta-feira, 8, uma feira de rua que acontecia no bairro Parque Santa Rosa foi desmontada.

LEIA TAMBÉM | Pode ou não pode? Tire dúvidas sobre as novas medidas rígidas de isolamento social em Fortaleza

O titular da SSPDS ressaltou que o controle do fluxo de pessoas na Capital acontece também na saída da Cidade. "Fortaleza é o grande epicentro da doença e pessoas que saem para o interior acabam, sem saber, levando a doença para lá", comentou.

Fiscalização nas ruas e avenidas

Para garantir a observância do decreto, foram implementadas barreiras de controle em sete pontos de acesso da Capital. Além de bases móveis em vias de menor fluxo, cerca de 20 blitzes fixas estão nas principais vias de Fortaleza. O governo também utiliza o sistema de videomonitoramento para acompanhar os deslocamentos.

A Cidade foi dividida em 104 quadrantes, com um efetivo de 300 policiais militares a mais, onde equipes menores atuarão. O secretário considerou que existe preocupação com transeuntes especialmente em calçadões como os existentes na avenida Beira Mar, no Vila do Mar e na Praia do Futuro.

LEIA TAMBÉM | Coronavírus em Fortaleza: Moradores que se recusarem a voltar para casa podem ser levados a delegacia

Segundo a SSPDS, chegam mais denúncias de descumprimento do isolamento social relativas a bairros como Bom Jardim, Conjunto Ceará, Antônio Bezerra, Barra do Ceará e José Walter.

O levantamento da pasta leva em conta as denúncias que chegam à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) pelo número 190 desde o dia 19 de março, quando as primeiras medidas de isolamento social foram decretadas no Ceará.