PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

June Almeida: a cientista que identificou o primeiro coronavírus humano no mundo

A virologista, que abandonou os estudos formais aos 16 anos, demonstrou habilidades incríveis no uso do microscópio eletrônico enquanto trabalhava como técnica de laboratório

20:26 | 16/04/2020

June Almeida foi a primeira cientista a identificar o coronavírus humano. A pesquisadora nasceu em 1930 em um bairro pobre de Glasgow, na Escócia, e abandonou a educação formal com apenas 16 anos. Ainda assim, foi a responsável pelas imagens que identificam que o coronavírus não era apenas mais um vírus comum de influenza. As informações são da Folha de S. Paulo.

Ainda solteira, conhecida por June Hart, a jovem iniciou sua carreira na ciência ao conseguir um emprego como técnica de laboratório em histopatologia ra Royal Infirmary, em Glasgow. Somente quando mudou-se para Londres e casou-se, em 1954, com o artista venezuelano Enriques Almeida, a cientista assumiu o sobrenome Almeida.

As habilidades de June ficaram evidentes quando partiu para o Canadá com o marido e a filha. De acordo com escritor e médico George Winter, foi no Instituto do Câncer de Ontário que a cientista começou a desenvolver técnicas com o microscópio eletrônico, sendo a pioneira em um método de visualizar o vírus usando anticorpos.

Com suas descobertas sendo reconhecidas, June foi chamada para trabalhar na Faculdade no hospital St. Thomas, em Londres, em 1964. Mesmo ano e local em que fez a descoberta do coronavírus. Curiosamente, o mesmo hospital que tratou o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, diagnosticado com o novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A descoberta

Em 1964, David Tyrrell realizava pesquisas na unidade de gripe comum. Segundo o Winter, durante os estudos das amostras de lavagem nasal de alguns voluntários, a equipe de Tyrrell descobriu que alguns tinham vírus semelhantes a gripe, enquanto outros não. Uma dessas amostras, de um aluno de um internato londrino, datada do ano de 1960, ficou conhecida como B814.

Apesar da associação do vírus causar os sintomas comuns da gripe, a equipe não conseguiu cultivar aquele patógeno, que são organismos capazes de causar doenças em um hospedeiro, em cultura celular de rotina. Ainda assim, dando continuidade aos estudos, foi possível perceber que havia um crescimento quando o vírus era cultivado em culturas de órgãos, o que tornava possível ser visto através de um microscópio eletrônico.

Assim, as amostras foram enviadas para June que, com suas habilidades extraordinárias com o microscópio eletrônico, conseguiu identificar partículas virais. O que foi descrito por ela como um tipo de influenza, identificando assim, o primeiro coronavírus humano. Nomeado por Tyrrell, Almeida e o então diretor do St. Thomas de coronavírus, por causa da coroa que cerca as partículas em torno da imagem viral.

June seguiu na carreira científica até deixar o Instituto Welcome, onde patenteou várias descobertas na área de imagem de vírus. Depois de se aposentar das pesquisas, Almeida passou a ser professora de ioga. Até o fim dos anos 1980, quando June retornou aos estudos de virologia e ajudou a registrar imagens do vírus HIV. A cientista faleceu em 2007, aos 77 anos, deixando um legado importantíssimo para a ciência mundial.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >