Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Baturité: MPCE recomenda uso obrigatório de máscaras em estabelecimentos com funcionamento liberado na quarentena

Cidade ainda não tem casos confirmados de Covid-19
08:26 | Abr. 15, 2020
Autor - Redação O POVO
Foto do autor
- Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O município de Baturité deverá fortalecer as medidas de combate ao novo coronavírus (Covid-19), seguindo uma série de recomendações expedidas pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Baturité. Um dos pontos principais é o uso obrigatório de máscaras em farmácias, supermercados, bancos, lotéricas, prestadores de serviços essenciais e demais serviços autorizados pelos decretos estaduais. A cidade, localizada a 93,2 km de Fortaleza, ainda não tem casos confirmados de Covid-19.

A Promotoria de Justiça de Baturité também recomendou à Prefeitura, Polícia Militar, Guarda Municipal e Autarquia de Trânsito que sejam tomadas providências para evitar aglomerações nesse período. Em nota, o MPCE diz que "orientou ainda a ampla divulgação das medidas para prevenir a proliferação da Covid-19 e está em contato constante com o Poder Público Municipal para acompanhar a situação de saúde da cidade".

Promotora de Justiça responsável pela tutela da Saúde Pública em Baturité, Alessandra Gomes Loreto afirma que "o Ministério Público tem atuado preventivamente para impedir que a Covid-19 seja utilizada como fundamento de uma eventual contratação que comprometa a probidade administrativa do Município ou como base para uma prática ilegal no campo eleitoral".

O MPCE está em regime de teletrabalho. Portanto, é possível contatar a 3ª Promotoria de Baturité pelo e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp (85) 9 8563-3167.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: "Acredito que vamos revacinar em 2022", avalia Cabeto

IMUNIZAÇÃO
23:26 | Ago. 02, 2021
Autor Ana Rute Ramires
Foto do autor
Ana Rute Ramires Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Em meio a discussões sobre a aplicação de terceira dose da vacina contra a Covid-19, o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, acredita que deve haver revacinação em 2022. "A gente está fazendo alguns estudos, o próprio Butantan está fazendo, sobre a necessidade de fazer uma revacinação. Os estudos ainda não estão prontos, mas me parece prudente. A gente não tem ainda a ideia de quanto tempo dura a imunidade. Então, acredito sim que vamos revacinar no ano que vem", afirmou.

O secretário comentou sobre o cenário epidemiológico em entrevista no programa Domingo Debate, na rádio Assunção, nesse domingo, 1º. Na ocasião, ele avaliou que o "pior já passou", no que se refere à curva da pandemia no Ceará. Foco atualmente deve ser intensificar monitoramento para detectar precocemente casos da variante Delta. 

Os laboratórios Pfizer e BioNTech devem pedir autorização para uma terceira dose de sua vacina contra a infecção. No Brasil, o Ministério da Saúde vai iniciar estudo para avaliar a necessidade de uma terceira dose de vacinas para Covid-19 para quem tomou Coronavac. A pesquisa será realizada em parceria com a Universidade de Oxford.

O Organização Mundial da Saúde (OMS) é contra a aplicação de terceira dose atualmente, quando grande parte do mundo aguarda sua primeira vacina. O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, criticou a "ganância" de quem já pensa em uma terceira dose da vacina, cuja necessidade ainda não foi comprovada cientificamente. 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará tem 17,66% da população vacinada contra a Covid-19

VACINÔMETRO
22:21 | Ago. 02, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará tem um total de 1.622.613 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 17,66%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado. Em relação à primeira dose (D1), 3,8 milhões de pessoas receberam a vacina, contabilizando 41,96% da população do Estado. Ceará aplicou mais de 5,4 milhões de doses da vacina contra a doença em seis meses da campanha de vacinação contra a doença.

As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas desse domingo, 1º. Já as estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

LEIA MAIS | Xepa de vacina contra Covid-19 existe em Fortaleza? Saiba como o processo funciona

+ Covid: Variante Delta é identificada em viajantes que chegaram a Fortaleza

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de seis milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus.  

No fim de semana, o Ceará recebeu um total de 316.360 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 143.200 da CoronaVac e 173.160 da Pfizer. No entanto, o lote recebido é menor do que o previsto pelo Ministério da Saúde, cuja previsão era de entregar 319.960 doses. Segundo informações do governador Camilo Santana (PT), a pasta federal deve compensar quantitativo nas próximas remessas. 

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 5.478.013
Total de D1 aplicadas: 3.855.400
Total de D2 aplicadas: 1.474.118
Total de doses únicas aplicadas: 148.495

LEIA TAMBÉM | Fortaleza retoma aplicação de primeira dose na quarta-feira, 4

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Perdeu data da segunda dose da vacina contra Covid? Saiba onde ser imunizado

+ Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

Além do público em geral, as pessoas incluídas nos grupos prioritários das fases 1, 2, 3 e 4, do PNI, estão recebendo os imunizantes contra o coronavírus em paralelo. Dentre as categorias, estão: trabalhadores da saúde, idosos, indígenas, quilombolas, pessoas com comorbidades, grávidas, puérperas, pessoas portadoras de deficiência, moradores de rua, trabalhadores da educação, profissionais do transporte coletivo rodoviário, metroviário, aéreo, aquaviário, portuários entre outros.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 259.316 (102%*)
Dose 2 (D2): 210.602 (81%)
Dose Única (DU): 94

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.207 (109%)
Dose 2 (D2): 2.169 (107%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.469 (95%)
Dose 2 (D2): 19.188 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.279 (108,86%)
Dose 2 (D2): 359.292 (104,24%)
Dose Única: 96

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 559 (148,28%)
Dose 2 (D2): 534 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 238.658 (107,28%)
Dose 2 (D2): 217.113 (97,87%)
Dose Única (DU): 94

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 269.851 (98,08%)
Dose 2 (D2): 255.348 (92,17%)
Dose Única (DU): 94

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 334.233 (99%)
Dose 2 (D2): 253.824 (67%)
Dose Única: 531

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.858 (100%)
Dose 2 (D2): 12.664 (81%)
Dose Única: 0

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.616 (111%)
Dose 2 (D2): 8.267 (27%)
Dose Úncia: 49

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 51.739 (89%)
Dose 2 (D2): 10.867 (19%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 417.043 (81%)
Dose 2 (D2): 55.702 (9%)
Dose Única: 422

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 176.031 (97,76%)
Dose 2 (D2): 1.799 (1%)
Dose Única: 272

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.975 (132%)
Dose 2 (D2): 22
Dose Única: 1

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.598 (95%)
Dose 2 (D2): 201
Dose Única: 4

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

São Paulo recebe insumos para produção de 4 milhões de doses da CoronaVac

CORONAVÍRUS
21:39 | Ago. 02, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo de São Paulo recebeu na noite desse domingo, 1º, por volta das 21 horas, um lote de 2 mil litros de Insumos Farmacêutico Ativo (IFA) para produção da vacina contra a Covid-19. Os insumos serão destinados ao Plano Nacional de Imunização (PNI) e viabilizarão a produção de quatro milhões de doses da vacina CoronaVac/Instituto Butantan. O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, a coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula, e o superintendente do Butantan, Reinaldo Sato, acompanharam a chegada do IFA, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

Os insumos vieram em um voo da companhia aérea Turkish Airlines, que saiu de Pequim, na China, e fez escala em Istambul, na Turquia, antes de pousar em São Paulo. A matéria-prima foi enviada pela biofarmacêutica Sinovac, que possui parceria com o Instituto Butantan, responsável pela produção do imunizante no Brasil. Antes de ser disponibilizados ao Ministério da Saúde, o IFA passará pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e por um rígido processo de controle de qualidade.

LEIA TAMBÉM | Ceará recebe 316.360 doses de vacinas contra a Covid-19, mas lote é menor do que o previsto

De acordo com o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, desde que a campanha de vacinação contra o novo coronavírus começou no Brasil, em 17 de janeiro de 2021, o Butantan já disponibilizou 62,8 milhões de doses do imunizante ao Ministério da Saúde, que é responsável pela distribuição das vacinas aos estados brasileiros, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI).

De 14 de julho até hoje, foram entregues 9,7 milhões de doses da vacina CoronaVac, referentes à produção de um lote de doses processadas a partir dos 6 mil litros de IFA, recebidos no dia 26 de junho. Na madrugada do dia 13 de julho, o instituto recebeu carga recorde de 12 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar outras 20 milhões de doses.

LEIA MAIS | Preço das vacinas de Pfizer e Moderna sobe após adaptação a cepas

O secretário de Saúde de São Paulo ainda destacou que à medida que progride a vacinação há impacto na redução das internações, mortes e número de casos da Covid-19. "Estamos não só vacinando como mantendo as medidas sanitárias ao passo que vamos estendendo a capacidade dos serviços e aumento de horário de funcionamento", disse Jean Gorinchteyn.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: Brasil registra 557,2 mil mortes e 19,95 milhões de casos

Saúde
19:53 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As mortes em consequência da covid-19 chegaram a 557.223 no Brasil. Nas últimas 24 horas, autoridades de saúde registraram 389 novos óbitos por causa da doença. Ontem (1), a soma de pessoas que não resistiram à covid-19 estava em 556.834.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado pela pasta nesta segunda-feira (2). A atualização consolida os registros levantados pelas secretarias estaduais de Saúde sobre casos e mortes relacionados à covid-19.

A quantidade de pessoas infectadas com a covid-19 desde o início da pandemia alcançou 19.953.501. Entre ontem e hoje, foram confirmados 15.143 novos casos da covid-19. Ontem, o painel do Ministério da Saúde trazia 19.938.358 casos acumulados.

Ainda há 709.075 casos em acompanhamento, que são pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 18.687.203.

Os dados, em geral, são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras, os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (139.059), Rio de Janeiro (59.375), Minas Gerais (50.628), Paraná (35.275) e Rio Grande do Sul (33.365). No topo de baixo da lista estão Acre (1.802), Roraima (1.858), Amapá (1.913), Tocantins (3.529) e Alagoas (5.833).

Vacinação

Foram distribuídas até hoje 184,4 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, com a entrega de 166,6 milhões de doses aos estados.

Segundo os dados do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais de Saúde, foram aplicadas até hoje 142,5 milhões de doses, sendo 101 milhões da primeira dose e 41,5 milhões da segunda dose. Nas últimas 24 horas foram aplicadas 1,2 milhão de doses.

Quando considerados os dados já consolidados no sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações (PNI), foram aplicados 135,8 milhões de doses, com 96,4 milhões da primeira dose e 39,3 milhões da segunda dose.

Ministério da Saúde divulga dados de casos e mortes por covid-19
Divulgação/Ministério da Saúde

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pesquisa detecta coronavírus pela análise de retina

Saúde
19:23 | Ago. 02, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pesquisadores brasileiros conseguiram, pela primeira vez, detectar a presença do coronavírus em retinas. O estudo pode contribuir para compreender melhor a dinâmica do vírus e as sequelas em pacientes infectados.

A pesquisa é conduzida pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com recursos da rede financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Os pesquisadores analisaram retinas de pacientes que morreram em decorrência da covid-19 e compararam com fotos dos olhos desses pacientes quando vivos para analisar as diferenças e formas de aferir a presença do vírus a partir da retina.

Segundo o professor da UFRJ e um dos coordenadores do estudo Rubens Belfort Jr, a retina é um biomarcador importante, pois faz parte do sistema nervoso, mas é mais acessível, permitindo identificar a presença do vírus em determinados locais do corpo, como nesse sistema.

Além de identificar a presença do vírus e de reservatórios dele nos corpos dos pacientes, o professor explica que os resultados do estudo podem auxiliar no processo de entendimento e enfrentamento das sequelas de pessoas que contraíram a covid-19.

“A pesquisa pode ajudar a entender a existência das sequelas e como combater às sequelas, como aquelas relacionadas alterações neurológicas que alguns pacientes com covid-19 desenvolvem”, disse Rubens Belfort.

As informações obtidas pela pesquisa podem contribuir para a compreensão das causas das sequelas. “Será que desenvolve porque é alteração imunológico ou tem relação com o vírus que ficou?”, indaga, exemplificando que tipo de questões carecem de melhores explicações.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags