PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Presidente da Nicarágua não aparece há mais de um mês; país não adotou isolamento para conter coronavírus

Nas ruas do país, correm rumores sobre o estado de saúde do presidente, de 74 anos Redação O POVO

09:13 | 14/04/2020
Nicaraguan President Daniel Ortega waves as he arrives for the opening of the Petrocaribe Summit, in Caracas, on May 5, 2013. Pertocaribe is an alliance Venezuela has with several Caribbean states under which it supplies oil to them at cut-rate prices.   AFP  PHOTO / JUAN BARRETO
Nicaraguan President Daniel Ortega waves as he arrives for the opening of the Petrocaribe Summit, in Caracas, on May 5, 2013. Pertocaribe is an alliance Venezuela has with several Caribbean states under which it supplies oil to them at cut-rate prices. AFP PHOTO / JUAN BARRETO (Foto: JUAN BARRETO)

Em plena pandemia de novo coronavírus, não se sabe o paradeiro do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega. Ele não aparece em público há mais de um mês, e, nos últimos dias, os canais governistas do regime nicaraguense vêm repercutindo apenas as declarações de Rosario Murillo, vice-presidente e primeira-dama do país centro-americano. As informações são do repórter do G1, Lucas Vidigal.


A Nicarágua é um dos únicos países nas Américas a não ter tomado nenhuma medida de isolamento para conter a pandemia. O regime local manteve os festejos de Páscoa mesmo com os apelos da Igreja Católica — uma das principais vozes de oposição a Ortega.


Nas ruas do país, correm rumores sobre o estado de saúde do presidente, de 74 anos. Segundo uma fonte ouvida pelo G1, havia expectativa de que Ortega daria declaração em público no domingo de Páscoa, 12. Porém, isso não se concretizou.


O site governista de notícias "El 19" reproduz há dias os discursos de Rosario Murillo. No mais recente, publicado nesta segunda-feira (13), ela afirma que Ortega — a quem chama de "nosso comandante" — está "coordenando todas as equipes de trabalho".


Há polêmica sobre o número real de casos da Covid-19 na Nicarágua. O governo diz haver somente três casos ativos da doença no país, todos importados. Segundo Carlos Sáenz, secretário-geral do Ministério da Saúde, outras cinco pessoas já se recuperaram do novo coronavírus — e uma pessoa morreu.


Os números representam grande contraste com os casos confirmados em Honduras (397) e na Costa Rica (612), os dois países que fazem fronteira terrestre com a Nicarágua. Ambos os vizinhos adotaram medidas para reduzir a circulação de pessoas e fecharam os acessos para estrangeiros.