PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Em Fortaleza, profissionais da Saúde do grupo de risco estão trabalhando a distância ou afastados, diz secretária

Joana Maciel, titular da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), garantiu também que os profissionais da Saúde estão trabalhando devidamente equipados

Lais Oliveira
14:00 | 14/04/2020
 A titular da pasta também ressaltou que o Município tem conseguido o apoio do mercado local em meio as dificuldade de se adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) (Foto: Reprodução/Vídeo divulgado pela SMS)
A titular da pasta também ressaltou que o Município tem conseguido o apoio do mercado local em meio as dificuldade de se adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) (Foto: Reprodução/Vídeo divulgado pela SMS)

Em vídeo divulgado nesta terça-feira, 14, a secretária de Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, disse que os profissionais da rede municipal de Saúde que fazem parte do grupo de risco da Covid-19 trabalham a distância ou estão afastados. Dois profissionais da área já morreram vítimas do coronavírus no Ceará.

Um levantamento mais detalhado com dados sobre essa situação está sendo produzido, de acordo com a assessoria da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). A secretária citou entre os profissionais do grupo de risco pessoas acima de 60 anos e também aquelas que apresentam alguma doença crônica pré-existente.

"Eles estão trabalhando a distancia ou afastados, a depender de cada caso. Isso quer dizer que eles não estão fazendo atendimento direto, estão em atividades onde o contato com o paciente não existe", esclarece.

A titular da pasta também ressaltou que o Município tem conseguido o apoio do mercado local em meio as dificuldade de se adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), "Tivemos muito apoio dos empresários do Ceará que mudaram a sua atividade para confeccionar máscaras, protetores faciais e aventais. Agora estamos conseguindo adquirir no próprio mercado local muitos desses EPIs", explica.

Joana Maciel ainda assegura que todos os profissionais de Fortaleza utilizam esses EPIs fabricados localmente de acordo com as orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde. "Toda proteção está sendo dada aos nossos profissionais para que eles possam atender à população de forma adequada e sem correr risco de saúde também", finaliza.

Leia também | Hospital particular de Fortaleza será denunciado pelo Coren por utilização de EPIs inadequados