PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Covid-19 e síndromes gripais afastaram 5% dos profissionais da rede pública de SP

Os afastamentos totais, que equivalem a 5% dos 84 mil servidores da Secretaria Municipal de Saúde, preocupam as autoridades

12:15 | 14/04/2020
Fortaleza, Ceará Brasil 13.04.2020  Profissionais da saude do IJF 2 (Fabio Lima/O POVO)
Fortaleza, Ceará Brasil 13.04.2020 Profissionais da saude do IJF 2 (Fabio Lima/O POVO) (Foto: FABIO LIMA)

Ao todo, 4.576 profissionais de saúde da rede municipal já foram afastados de hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e prontos-socorros. Desse total, cerca de 700 são vítimas confirmadas da Covid-19; os outros foram impedidos por síndrome gripal. Os dados foram fornecidos ao Estado pelo secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido. Não há dados consolidados sobre os que já retornaram ao trabalho.


Os afastamentos totais, que equivalem a 5% dos 84 mil servidores da Secretaria Municipal de Saúde, preocupam as autoridades. O órgão estima que os hospitais podem ficar sem médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem se o índice de afastamento se aproximar de 15%. "A gente trabalha esse número de maneira geral, com base nas experiências de outros locais onde a pandemia já ocorreu", explica o secretário. "Com a pressão que estamos tendo, a gente ficaria com quadro deficitário em UTI e semi."


Essa preocupação não é só paulistana. O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirmou que a cidade de Manaus está em um ponto da curva de crescimento dos casos de Covid-19 próximo da linha de capacidade de atendimento no sistema de saúde. Para aumentar essa capacidade, a partir de hoje serão enviados profissionais da força nacional do SUS, entre enfermeiros e médicos com experiência em ações semelhantes.


A contaminação dos profissionais de saúde da esfera paulistana se repete, em linhas gerais, nos outros grandes hospitais. O Albert Einstein informou que "348 dos 15 mil colaboradores (2%) foram diagnosticados com a doença". De acordo com o hospital, "desses, 169 (1%) são da assistência (profissionais com formação em Saúde, como médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem)".

O Hospital Sírio-Libanês informa 104 afastamentos e esclarece que o total envolve médicos, pessoal da enfermagem, limpeza e auxiliares administrativos. O Hospital das Clínicas, por sua vez, afastou 535, sem dar detalhamento.