PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Grupo de escuta terapêutica passa a atender gratuitamente por videoconferência

Os atendimentos devem ser agendados por e-mail ou ainda pelas redes sociais do projeto

Alan Magno
23:12 | 08/04/2020
Os atendimentos devem ser agendados por e-mail ou ainda pelas redes sociais do projeto (Foto: Divulgação/Carmens)
Os atendimentos devem ser agendados por e-mail ou ainda pelas redes sociais do projeto (Foto: Divulgação/Carmens)

O projeto Comunidade de Ações para Redesenho dos Modos de Existência e Prevenção do Suicídio (Carmens) surgiu em 2019 e, desde então, tem se dedicado a, por meio da escuta terapêutica, contribuir para a prevenção do sofrimento psíquico e do suicídio. Com as medidas restritivas devido à pandemia de coronavírus, o projeto iniciou atendimentos online, por videoconferência, como forma de ajudar as pessoas a lidarem com as questões da pandemia e do isolamento social. Todo o projeto é composto por voluntários, que prestam ajuda de forma gratuita. Os atendimentos virtuais devem ser agendados por e-mail ou ainda pelas redes sociais do projeto.

O vice-coordenador do projeto, o psicólogo e psicoterapeuta Marcos Vinícius, afirmou que o cenário de incertezas e instabilidades gerado pela pandemia está afetando os moldes nos quais o mundo moderno está estruturado, abalando a todos. “Um projeto como a Carmens, que tem como objetivo primeiro o redesenho dos modos de existência, não poderia se omitir diante de um contexto de crise gerado por uma pandemia”, completou.

O atendimento do projeto é feito individualmente, com cada pessoa que busca ajuda. Para realizar uma sessão de escuta, basta enviar uma mensagem solicitando atendimento para e-mail ([email protected]) ou via Instagram do projeto, no perfil @carmens_comunidade. Os pedidos são respondidos em no máximo 24 horas. Durante a solicitação é necessário informar nome, idade, número de whatsapp e e-mail e mencionar os horários disponíveis para realizar o atendimento.

O projeto é composto por 24 voluntários que atendem em média 100 pessoas diretamente com as ações presenciais. Migrar para a dinâmica de videoconferência é uma forma de seguir com os atendimentos e expandir a rede de ajuda construída pela ação.  O tempo das sessões de escuta terapêutica não são pré-delimitados e duram o quanto a pessoa que está falando achar necessário para expressar seus sentimentos.

Dentre os objetivos da Carmens também está a busca por reforçar a importância da prática do voluntariado e do altruísmo. “Somos movidos pela necessidade humana de servir amorosa e incondicionalmente”, destacou o fundador do projeto, o professor e psicólogo Francisco Cavalcante.

Todos os voluntários passam por um período de aprendizado com os coordenadores do projeto para que possam, então, iniciar os atendimentos, sempre feitos em dupla de voluntários com a pessoa que busca por ajuda. “Uma sensação de leveza e bem-estar”, foi assim que a pedagoga Lucilene de Paula definiu como se sente após cada sessão.

Lucilene é voluntária no projeto e diz que depois de começar a atuar nas ações da Carmens, começou a “perceber com mais sensibilidade as pessoas que nos rodeiam, seus problemas, medos, angústias”. Ela argumenta que em meio à quarentena tem notado um grande medo em boa parte das pessoas e uma carência de pessoas dispostas a ouvir, por isso diz que não pensou duas vezes antes de continuar no projeto, agora com ações virtuais.


Serviço

Escuta terapêutica do projeto Carmens

Onde: Por videoconferência pelo e mail “[email protected]” ou pelo instagram do projeto, no perfil @carmens_comunidade.
Quando: Em data e horário a ser agendado após solicitação da ajuda.
Como: O serviço é gratuito. Os interessados devem entrar em contato informando nome, idade, número de whatsapp e e-mail.