PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Covid-19: brasileiros são os mais preocupados com doentes e vulneráveis durante pandemia

Brasil está no topo do ranking, seguido por Espanha e Reino Unido. Pesquisa Tracking the Coronavirus é realizada semanalmente pela Ipsos

Rubens Rodrigues
12:54 | 08/04/2020
Movimentação de pedestres usando máscaras para se proteger em meio à pandemia do novo coronavírus (Foto: Sandro Valentim)
Movimentação de pedestres usando máscaras para se proteger em meio à pandemia do novo coronavírus (Foto: Sandro Valentim)

População brasileira é a mais preocupada com pessoas doentes e vulneráveis durante pandemia do novo coronavírus (Covid-19). É essa parcela da sociedade que compõem as chamadas zonas de risco. A informação é resultado da sexta onda da pesquisa Tracking the Coronavirus (rastreando o coronavírus, em tradução livre), realizada semanalmente pela empresa de pesquisa de mercado independente Ipsos. Pessoas de 16 países foram entrevistadas.

Os brasileiros estão no topo do ranking porque, quando perguntados sobre a situação diante da pandemia, 70% das pessoas ouvidas no País disseram ter medo pelos mais debilitados. 57% dos entrevistados no Brasil disseram também que é provável que fiquem mais próximos de familiares e amigos devido à crise.

Logo depois do Brasil vêm Espanha e Reino Unido, ambos com 66%. O terceiro país mais preocupado é o México, com 61% das pessoas respondendo. Países asiáticos como Japão (23%), China (30%), Índia e Vietnã (empatados com 50%) se mostram menos preocupados na pesquisa do Ipsos.

A pesquisa aponta ainda que os países que mais apostam em uma aproximação com familiares são Índia (72%), Vietnã (70%) e China (67%). As nações que menos creem nisso são Japão (19%), Coreia do Sul (32%) e Alemanha (41%). Outra questão abordada foi sobre a oportunidade de aprender novas habilidades na quarentena. Seis em cada 10 ouvidos brasileiros (60%) apostam nisso. Os três países que planejam fazer uso desse tempo para aprender novas coisas são Vietnã (75%), Índia (74%) e México (64%). Alemanha (22%), Japão (23%) e França (24%), por outro lado, pensam menos na possibilidade.

A sexta onda da pesquisa Ipsos foi realizada entre os dias 26 a 30 de março último na plataforma on-line Global Advisor. Foram ouvidos 28 mil adultos, de 16 e 74 anos, no Canadá, Estados Unidos, Austrália, Brasil, China, Espanha, França, Alemanha, Itália, Índia, Japão, México, Rússia, Coreia do Sul, Vietnã e Reino Unido.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >