PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Preço da gasolina na Capital cai em 3,2% durante a quarentena

O baixo consumo de gasolina nas últimas semanas, ainda não representou uma queda significativa no preço do produto

Victor Hugo Pinheiro
16:00 | 06/04/2020
Postos de combustíveis do Ceará funcionam em horário especial por causa do coronavírus (Foto: Alex Gomes - Em 02/08/2018)
Postos de combustíveis do Ceará funcionam em horário especial por causa do coronavírus (Foto: Alex Gomes - Em 02/08/2018)

Desde que houve o primeiro decreto do governador Camilo Santana anunciando o fechamento de setores não essenciais, no dia 19 de março, o consumo de gasolina caiu drasticamente na Capital. Com as medidas de quarentena, as pessoas estão trabalhando em home office e, em maioria, saem de casa apenas para fazer compras em supermercados ou farmácias. Nas últimas semanas, foi possível observar uma redução de 3,2% no preço da gasolina.

Segundo levantamento semanal de preços da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a gasolina está custando em média R$ 4,45 nos postos de combustíveis da Capital. Antes da quarentena, o valor encontrado pelos consumidores em média de R$ 4,60. Ainda de acordo com a ANP, atualmente, o preço mais baixo é R$ 4,28 e o mais caro é de R$ 4,69.

Diante da baixo consumo de gasolina, o consultor na área de combustíveis e energia, Bruno Iughetti, reforça a importância dos empresários seguirem as diretrizes da Petrobras, que está baixando os valores do petróleo nas refinarias. Porém, o consultor afirma que os donos dos postos de combustíveis ainda não estão reduzindo o valor do combustível como o esperado.

"O preço repassado pelos postos já possui os impostos cobrados que fazem chegar ao valor final, enquanto a Petrobrás está diminuindo paulatinamente. Vamos observar também essa redução chegando ao consumidor e a demanda caiu significativamente. Se comparado ao mesmo período do ano passado, a venda dos postos caiu em 60%. Com isso, os donos de postos não podem deixar o item no mesmo valor que estava antes. Se não houver a queda do preço nas bombas de gasolina, vamos observar muitos fechando as portas", completa Bruno.

assessor de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE), Antônio José Costa, também afirma que a redução das vendas de gasolina traz indicativos negativos. "Se formos traçar um comparativo com as vendas nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, no mês de março, houve uma queda de 50% a 80% em relação aos dois meses anteriores".

Entretanto, de acordo com Antônio José Costa, ainda não foram registradas demissões de funcionários que atuam no setor. Os trabalhadores que pertencem ao grupo de risco receberam férias.

Os postos de gasolina estão funcionando, no mínimo, de segunda-feira a sábado, das 7 às 19 horas, conforme foi regulamentado pela ANP, no último dia 24 de março.