PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Crianças em casa: confira dicas de como orientar para um melhor uso da Internet

Em casa, por conta da quarentena, crianças ficam com um maior tempo para utilização de aparelhos digitais. Saiba como mantê-las mais protegidas dos perigos da Internet

07:54 | 01/04/2020
Durante a pandemia, óculos são mais recomendados do que lentes de contato (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Durante a pandemia, óculos são mais recomendados do que lentes de contato (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

O tempo gasto on-line e o conteúdo acessado por crianças na internet preocupa as famílias brasileiras, principalmente em período de quarentena, em que as crianças passam mais tempo em casa, em maior contato com essas tecnologias. Uma pesquisa realizada pelo Google concluiu que, entre as principais preocupações de famílias em relação a filhos na Internet são: acesso a conteúdos inadequados (55%), cyberbullying (14%), e o compartilhamento de informações pessoais (10%). O POVO separou algumas dicas que podem ajudar os responsáveis a deixar a Internet mais segura para as crianças:

1- Procure mostrar o que é adequado e inadequado de ser compartilhado na internet. É preciso mostrar às crianças que é possível compartilhar conteúdos na internet para várias pessoas, entre conhecidos, e também desconhecidos. Tente conscientizá-las de que formas selecionar conteúdos para serem compartilhados na internet, e o que não deve ser postado, como senhas, dados e informações pessoais. É importante mostrar possíveis consequências na reputação e vida dos envolvidos em situações como essa, e reforçar a importância em se proteger nesses locais.

2- Conscientizar as crianças dos perigos encontrados na Internet. A criança precisa conhecer as principais “armadilhas”, golpes, e mentiras em que ela pode cair ou acreditar na internet. Conversar, explicar as características dessas mentiras, e como evitá-las pode ajudar a prevenir vários problemas que envolvam o ambiente online. Ensinar também as consequências do compartilhamento de informações pode ser essencial, na medida que a exposição de detalhes da vida pessoal delas, ou de outras pessoas, pode causar grandes problemas.

3- Ensinar as crianças respeito e boas maneiras na Internet. É possível também ensinar as crianças a utilizar o ambiente online com gentileza, respeito às diversidades, e enfrentando comportamentos negativos, como cyberbulling, assédio, entre outros.

4- Disponibilizar formas de fazer denúncias em casos de comportamentos inadequados ou ofensivos. Todos que utilizam a internet precisam saber que existem formas de denunciar e se proteger no caso de situações desconfortáveis, principalmente as crianças. Elas devem se sentir à vontade para conversar com um adulto de confiança. Saber como denunciar conteúdos inapropriados contribui na prática cidadã.

5- Utilizar filtros de conteúdos. Sites como o Youtube, que pode conter informações sobre qualquer assunto, pode ser trocado pelo Youtube Kids, com conteúdos voltados para menores de 13 anos. Alguns sites e dispositivos também oferecem limites de tempo nas telas, restrição nas ferramentas de pesquisa, que contribuem para um maior controle dos responsáveis pela criança.

6- Ofereça também outras atividades offline. Atividades que podem ser realizadas dentro de casa, com brinquedos, tabuleiros, quebra-cabeças, entre outros, pode ser uma alternativa para o tempo passado em frente às telas, o que pode ajudar também a controlar o tempo de uso dos aparelhos digitais.