PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Coronavírus: Dicas para criar uma rotina durante o confinamento

Uma rotina diversificada, pode garantir um alívio quando se trata da ansiedade e do ócio causados pelo isolamento social

15:48 | 31/03/2020
A primeira coisa que se deve fazer é definir o tempo de trabalho e descanso ou lazer durante a quarentena (Foto: JÚLIO CAESAR)
A primeira coisa que se deve fazer é definir o tempo de trabalho e descanso ou lazer durante a quarentena (Foto: JÚLIO CAESAR)

Nestes dias de quarentena nunca foi tão necessário falar sobre como é lidar com a própria companhia. A suspensão da rotina agitada, dos encontros com os amigos e até do tempo que o brasileiro tira para resolver seus problemas, estão despertando na parte da população que está confinada em casa uma tendência a se sentir solitária, entediada e até desamparada.

Parte desses sentimentos negativos ocorrem por conta do estresse elevado, da distância e do medo causado pela pandemia. “Nesse momento de crise, é previsível que o nível de estresse da população aumente. Bem como o sentimento de abandono e desespero", comenta a a psicóloga Luanna Rodrigues Cavalcante. Para minimizar esses efeitos, ela indica que uma rotina seja criada.

“É necessário uma rotina o mais semelhante possível com a que você pratica no dia a dia. Com horários não tão rígidos, já que é uma situação extraordinária, mas que haja um momento para o trabalho, para o estudo, para relaxar, se divertir e qualquer outra atividade”, relata a psicóloga.

Segundo a Luanna, organizar um cronograma, no celular ou numa agenda, com todas as atividades que eram realizadas fora, pode garantir uma sensação maior de amparo e segurança. A prática de atividades físicas também merecem um tempo reservado. “Exercícios diversos, seguindo orientações de profissionais da área e respeito com as limitações de cada corpo, são essenciais”.

Outra orientação é não consumir compulsivamente informações, partindo da noção de que muitas são transmitidas de forma equivocada. E sempre procurar sites confiáveis de notícias. Assim, Luanna aponta a importância de destinar um tempo específico do dia para se inteirar dos acontecimentos no mundo. “Esse consumo exagerado pode atuar no cérebro como um alerta que pode despertar angústias e sofrimentos antecipados. Como neste momento, o mais visto são de caráter negativo, é melhor se resguardar um pouco”.

“O autoconhecimento seria a palavra para levarmos em consideração. Inúmeras pessoas estão aprendendo a conviver juntas pela primeira vez, a conhecer o seus parceiros e familiares no tempo integral, então é importante cultivar momentos em família, amigos. Fazer as refeições juntos, realizar vídeo-chamadas com quem está distante. Tudo pode ajudar”, explica a psicóloga. Que também aponta dicas importantes que facilitarão o dia a dia e que podem reduzir, significativamente, os efeitos do confinamento.

Dicas
- Mantenha-se hidratado. Beba bastante água!
- Tenham um momento destinado a leitura de temas mais leves, divertidos;
- Tome um banho de sol. Pode ser pela janela, varanda ou quintal;
- Converse com pessoas confiáveis quando se sentir “para baixo”;
- Aprenda técnicas de respiração para controlar a ansiedade;
- Busque aperfeiçoar seus conhecimentos, seja na área profissional ou lazer;
- Procure ajuda de um profissional especializado em caso de crise; teleatendimentos e serviços online foram disponibilizados, procure sempre um meio aprovado pelo Conselho Regional de Psicologia.

Por Adriely Viana