PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Flávio Bolsonaro compartilha foto falsa sobre cura de coronavírus

Foto de Walter Balestra registrada em 2019 foi usada fora do contexto por site bolsonarista; o arquiteto estava em UTI para tratamento de um enfisema pulmonar.

09:21 | 30/03/2020
Foto de Walter Balestra registrada em 2019 foi usada fora do contexto por site bolsonarista
Foto de Walter Balestra registrada em 2019 foi usada fora do contexto por site bolsonarista (Foto: Reprodução)

O senador Flávio Bolsonaro compartilhou em rede social uma foto falsa de paciente supostamente curado por Covid-19 com o uso de hidroxicloroquina - substância defendida pelo pai, o presidente Jair Bolsonaro, para tratamento da doença. A imagem havia sido publicada inicialmente em reportagem do site Senso Incomum e ilustrada com foto de um morador de Porto Alegre que não contraiu a doença. A informação foi noticiada pela jornalista Vera Magalhães, do site BR Político.

De acordo com o texto publicado pelo Senso Incomum, quatro pacientes de São Paulo teriam se salvado após o uso do remédio. No entanto, o paciente que aparece em um leito de hospital é o arquiteto Walter Hugo Balestra Palombo, de 71 anos. Ele esteve internado em uma UTI para tratamento de um enfisema pulmonar em julho do ano passado, e participou de reportagem da RBS, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul, sobre a possibilidade de parentes acompanharem internados em UTIs de hospitais de Porto Alegre.

O texto do Senso Incomum dá a entender que, assim como Walter, outros três pacientes tiveram alta de um hospital da capital paulista após tomarem doses de hidroxicloroquina por sete dias, sugerindo que a substância tenha de fato a capacidade de curar os infectados. O tratamento, no entanto, não foi comprovado cientificamente. O texto também menciona o depoimento de um médico afirmando que por se tratar de um número pequeno de pacientes, ainda não é possível comprovar a eficácia do medicamento, “mas que a impressão é muito favorável”.

Após reportagem do BR Político, veiculada no domingo pela manhã, o site acrescentou nota à publicação sinalizando que o uso da imagem de Walter Balestra foi um “erro”. A imagem foi trocada, e na errata o Senso Incomum pediu desculpas à família pelo uso indevido. “Assumimos o erro e retiramos a imagem, que havia aparecido em uma busca no Google sobre ‘hidroxicloroquina + pacientes curados’”, diz a nota. Segundo o Senso Incomum, o texto, no entanto, está correto.

O site Senso Incomum é ligado ao assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Filipe G. Martins. O site nega ser bolsonarista e afirma que Filipe apenas colaborou com o Senso Incomum por um curto período de tempo, em 2017. Também em nota, Flávio reforçou que o conteúdo da matéria é verdadeiro. “O importante é que a cloroquina está funcionando na maioria esmagadora dos casos de pacientes com covid-19, graças a Deus. O próprio site ‘Senso Incomum’ já trocou a foto e manteve o teor da reportagem. Então, caso encerrado”.2