PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Em resposta a Bolsonaro, entidades religiosas e científicas se unem para alertar sobre a importância do isolamento social

Dentre os autores da carta estão a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

Alan Magno
23:30 | 27/03/2020
Representação do genoma do vírus (Foto: AFP)
Representação do genoma do vírus (Foto: AFP)

Na noite desta sexta-feira, 27, seis entidades sociais, científicas e religiosas publicaram uma carta aberta à população para alertar sobre a importância do isolamento social no combate ao coronavírus. Dentre os autores da carta estão a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. A manifestação é uma resposta às ações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que continuamente refere-se a pandemia como “histeria” e demais atos de incentivo direto ao desrespeito às medidas restritivas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

As entidades reconhecem as estratégias de isolamento social como “fundamentais para conter o crescimento acelerado do número de pessoas afetadas pelo coronavírus”. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Comissão Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns, Academia Brasileira de Ciências e a Associação Brasileira de Imprensa também assinaram a carta intitulada “Em defesa da vida”.

A carta menciona as ações de Bolsonaro, em especial a campanha presidencial que conclama as pessoas a irem às ruas sob o slogan de “O Brasil não pode parar”, e as classifica como: “Uma grave ameaça à saúde de todos os brasileiros”. Para as entidades o momento requer lucidez, responsabilidade e solidariedade para enfrentamento da crise. “Não deixemos que nos roubem a esperança”, afirma a carta.

Até a noite desta sexta-feira, 27, o Brasil apresentava 3.417 casos confirmados da infecção pelo novo coronavírus, a Covid-19. O número representa um aumento de 502 casos do que o total registrado na quinta-feira, 26, segundo boletim diário do Ministério da Saúde. Entre a quinta e a sexta-feira foram contabilizados 15 novas mortes em decorrência de complicações da nova doença, o total de óbitos até o momento é de 92 casos. No Ceará, os casos confirmados chegaram a 282. Na quinta-feira, 26, eram 238 ocorrências. O número de mortes se manteve estável, registrando três óbitos.
CONFIRA A CARTA COMPLETA:

"EM DEFESA DA VIDA

As entidades que subscrevem esta nota reuniram-se hoje (27/03), de modo virtual, para alertar a população que fique em casa respeitando as recomendações da ciência, dos profissionais de saúde e da experiência internacional.
Estratégias de isolamento social, fundamentais para conter o crescimento acelerado do número de pessoas afetadas pelo coronavírus, visam à organização dos serviços de saúde para lidar com esta situação, que, apesar de grave, pode ser bem enfrentada por um sistema de saúde organizado e bem dimensionado.
A campanha de desinformação desenvolvida pelo Presidente da República, conclamando a população a ir para a rua, é uma grave ameaça à saúde de todos os brasileiros. A hora é de enfrentamento desta pandemia com lucidez, responsabilidade e solidariedade. Não deixemos que nos roubem a esperança.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB
Felipe Santa Cruz, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB
José Carlos Dias, presidente da Comissão Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns - Comissão Arns
Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências - ABC
Paulo Jeronimo de Sousa, Associação Brasileira de Imprensa - ABI
Ildeu de Castro Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC

27 de março de 2020"

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >