PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Policiais franceses ameaçam interromper patrulhamento se não receberem máscaras

A França, onde a Covid-19 já deixou mais de 1.300 mortos, enfrenta uma escassez de máscaras para os profissionais da saúde, mas também para outras profissões

14:01 | 26/03/2020
Paris em 24 de março de 2020, Uma foto mostra a Avenida Champs-Elysees vazia e o Arco do Triunfo  no oitavo dia de um bloqueio destinado a conter a propagação do COVID-19 (novo coronavírus) na França. VA 04.04 (Foto: Ludovic MARIN / AFP)
Paris em 24 de março de 2020, Uma foto mostra a Avenida Champs-Elysees vazia e o Arco do Triunfo no oitavo dia de um bloqueio destinado a conter a propagação do COVID-19 (novo coronavírus) na França. VA 04.04 (Foto: Ludovic MARIN / AFP)

Os sindicatos policiais da França, que representam a instituição que faz o controle para que o confinamento imposto há dez dias pelo novo coronavírus seja respeitado, alertaram às autoridades nesta quinta-feira, 26, que suspenderão suas atividades caso não recebam máscaras de proteção.

A França, onde a Covid-19 já deixou mais de 1.300 mortos, enfrenta uma escassez de máscaras para os profissionais da saúde, mas também para outras profissões que estão atuando na linha de frente do combate ao vírus, como as polícias.

"Se os serviços não têm recursos para se proteger, os policiais só cumprirão com as missões realmente urgentes e não continuarão fazendo o controle para que o confinamento seja cumprido", alertaram os sindicatos em um comunicado em comum.

Na véspera, vários sindicatos tinham criticado a decisão do ministério do Interior de dar as máscaras do tipo FFP2 destinadas à polícia para as equipes da saúde.

Os policiais têm máscaras cirúrgicas, mas acreditam não ter um número suficiente para todo o serviço.

As máscaras do tipo FFP2 são mais recomendadas para evitar a propagação do vírus, principalmente para os que estão em contato direto com os doentes.