PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Camilo diz que vai tomar medidas para garantir sobrevivência financeira de população mais vulnerável

Governadores do Norte e do Nordeste terão uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, por vídeo conferência, para discutir medidas de enfrentamento ao coronavírus

Rubens Rodrigues
10:54 | 23/03/2020
Camilo Santana durante transmissão ao vivo no Facebook (Foto: REPRODUÇÃO)
Camilo Santana durante transmissão ao vivo no Facebook (Foto: REPRODUÇÃO)

O Governo do Ceará tem anunciado uma série de medidas, desde a última semana, para diminuir a curva de crescimento de casos do novo coronavírus (Covid-19) no Ceará. Em entrevista à rádio O POVO CBN, o governador Camilo Santana afirmou que, a partir de agora, vai passar a tomar medidas para que a população mais vulnerável do Ceará não sofra com as consequências financeiras da disseminação do vírus.

A primeira medida é a isenção da tarifa de água e esgoto a todas as famílias cearenses de padrão básico (consumo até 10 m3), que pagam tarifa social e popular da Cagece. A decisão valerá por 90 dias, de abril a junho, e deve beneficiar 338 mil famílias. Além disso, fica suspensa a cobrança da tarifa de contingência em Fortaleza e na Região Metropolitana dos domicílios de padrão básico e regular da Cagece. Medida beneficia 220 mil domicílios.

"Há um diálogo com a Enel pra encontrar saída nesse sentido. Vamos começar a tomar medidas e é importante o alinhamento com o Governo Federal para proteger a população, principalmente a população mais vulnerável no decorrer desse período", disse Camilo Santana. "A partir de agora vamos começar a tomar medidas importantes para garantir a sobrevivência financeira para a população mais vulnerável do Ceará".

Às 15 horas desta segunda, Camilo e outros governadores do Norte e do Nordeste terão uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, por vídeo conferência, para discutir medidas de enfrentamento ao coronavírus. Veja outros trechos importantes da entrevista:

"Estamos em guerra"

"É um momento de união, de unificar as nações, potencializar as ações. Não estamos fazendo nada aleatório da cabeça de nenhum governador, são a partir de informações técnicas da área da saúde, experiências de infectologistas e epidemiologistas. A partir de experiências do mundo inteiro. Estamos nos antecipando. É como uma guerra, tem que ter estratégia, antecipação. Estamos em uma guerra contra um inimigo invisível. São medidas para preservar vidas".

Divergências no Governo Federal

"Há uma divergência no que fala o presidente e o que fala o ministro da Saúde (Luiz Henrique Mandetta), que tem colocado a importância do isolamento, que vamos enfrentar um momento difícil. É preciso nivelar as informações a nível de Governo Federal".

Transporte municipal

"A orientação que está no meu decreto é que os ônibus municiais têm que ser garantidos, não podemos parar tudo. Agora, esse transporte público tem que ter controle, higienização pelo menos uma vez por dia".

Relevância no setor turístico influenciou vírus no Ceará

"O Ceará hoje é um dos quatro destinos com maior fluxo de passageiros internacionais no Brasil. Por isso a medida urgente de suspender os voos internacionais e a decisão que saiu ontem de colocar uma equipe no aeroporto para monitorar os passageiros. O aeroporto é um grande fluxo de contaminação que trouxe o vírus".  

Novos diagnósticos

"Estamos fazendo muitos exames. Fazemos em média 120 testes por dia, então há uma tendência de diagnosticarmos mais casos".

Relação com Jair Bolsonaro

"A gente espera que o Governo Federal possa abrir um diálogo maior. Vamos ter que superar questões partidárias, não é momento pra isso (...) Temos uma reunião hoje por vídeo conferência com os governadores do Norte e Nordeste com presidente onde vamos ter oportunidades de discutir ações, alinhar ações na área da saúde e da economia. É um fato importante pra esse enfrentamento e união que o País precisa ter agora".