PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Demanda de supermercados aumenta até 30 vezes; é indicado comprar o essencial e de estabelecimentos perto de casa

Empresas de entregas por aplicativo adotam medidas para entregadores afetados pela epidemia; colaboradores serão pagos para ficar em casa e cumprir quarentena

Leonardo Maia
12:10 | 22/03/2020
Compras por aplicativo de supermercados aumentou (Foto: Divukgação)
Compras por aplicativo de supermercados aumentou (Foto: Divukgação)

Pedidos feitos pela internet em supermercados aumentaram cerca de 30 vezes em redes de supermercado da Capital desde o início de medidas que restringiram a circulação devido ao avanço do novo coronavírus no Ceará. Os dados são da startup digital Mercadapp, que fornece serviços para estabelecimentos de Fortaleza.

O aumento repentino da demanda, no entanto, tem causado problemas para os consumidores, que enfrentam atrasos e outras dificuldades decorrentes da sobrecarga do serviço. A maioria dos supermercados da Capital tem sites e aplicativos que permitem a compra remota e tentam ajustar os serviços disponíveis à alta da demanda.

Thiago Sena, gerente comercial e de marketing do Mercadapp, sugere que, para reduzir os impactos no serviço, os consumidores façam compras online no supermercado mais próximo de suas casa e, sobretudo, adquirir apenas o essencial.

Ele alerta que devido à alta demanda os consumidores devem enfrentar atrasos com suas compras, mas isso deve ser normalizado ao longo das próximas semanas. Atualmente, os clientes estão enfrentando prazo de agendamento para entrega das compras entre 24 horas e 48 horas em redes de supermercado.

Proteção para entregadores

Empresas de entregas por aplicativo têm adotado medidas para proteger a saúde dos colaboradores após o avanço do novo coronavírus. Entregas sem contato físico e fundos para entregadores que estiverem com o coronavírus ou precisarem entrar em quarentena são algumas das iniciativas tomadas.

De acordo com a Revista Veja, o Ifood anunciou na última segunda-feira, 16, a criação de fundo de R$ 1 milhão para auxiliar os entregadores afetados. O fundo será gerido com ajuda da ONG Ação da Cidadania, responsável pela distribuição de recursos aos condutores.

A Rappi, empresa que também trabalha com entregas por aplicativo, anunciou medida similar. Em mensagem enviadas para os colaboradores, a empresa garantiu que cobriria os gastos dos 14 dias de quarentena com base na média de ganhos diários dos entregadores dos últimos dois meses. Se esse valor for de R$ 100, por exemplo, o colaborador receberá R$ 1400 para obedecer os 14 dias de quarentena.