PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Estado de São Paulo terá 15 dias de quarentena a partir da próxima terça, 24

João Doria, o governador do Estado, anunciou o decreto que determina o fechamento total de serviços não essenciais por 15 dias em São Paulo entre os dias 24 de março e 7 de abril

00:00 | 21/03/2020
Governador de São Paulo, João Doria, anunciou a medida neste sábado, 21, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital (Foto: Divulgação)
Governador de São Paulo, João Doria, anunciou a medida neste sábado, 21, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital (Foto: Divulgação)

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, anunciou neste sábado, 21, estado de quarentena por 15 dias como medida de combate à pandemia de coronavírus. A medida tem início a partir da próxima terça-feira, 24, e implica no fechamento de todo o comércio e serviços não essenciais até o dia 7 de abril. Tem autorização para seguir funcionando os serviços de saúde, segurança, supermercados e limpeza, por exemplo.

"Nenhuma medida aqui anunciada é restritiva ao trabalho das indústrias. A indústria não tem atendimento público", esclareceu Doria em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo. Ele defendeu que o ramo é fundamental para o atendimento no País. Construção civil, telemarketing e bancos também podem operar seguindo este mesmo princípio.

O Governo do Estado de São Paulo confirmou neste sábado, 21, que há mais seis mortes causadas pelo novo coronavírus. O total subiu para 15 mortes. O anúncio também demarca uma mudança na postura do governo, que, se antes realizava apenas recomendações e passa agora a tratar o fechamento de estabelecimentos e o isolamento como obrigatório. "Saímos do campo da recomendação para determinação", disse o governador.

Segundo o governador, padarias, bares e café podem seguir funcionando para "venda de gêneros e produtos" e de "alimentação preparada", mas não especificou como será tal dinâmica, conforme apurou o jornal Folha de S. Paulo. Na capital, a prefeitura já realiza fiscalização de comércios, inclusive com a polícia. "Manifestação de repúdio a iniciativa de festas em comunidades. Vamos adotar medidas policiais para aglomerações, festas funks", acrescentou Doria.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >