PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

PIB do Brasil foi revisado para apenas 0,02% neste ano e Ceará fará novo estudo

A equipe econômica do Governo Federal reviu os números pela segunda vez em duas semanas e derrubou a projeção para crescimento

Samuel Pimentel
22:10 | 20/03/2020
Impacto do comércio fechado será visto no PIB do Ceará (Foto: Barbara Moira)
Impacto do comércio fechado será visto no PIB do Ceará (Foto: Barbara Moira)

Em menos de um mês depois do primeiro caso de coronavírus (Covid-19) confirmado no Brasil, as expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) implodiram após duas revisões. Os números para 2020 do Ceará está sendo estudado novamente. Ontem, a equipe econômica do Governo Federal reviu os números pela segunda vez em duas semanas e derrubou a projeção para crescimento de apenas 0,02%.
A ideia inicial da equipe econômica era de crescimento superior a 2,5% neste ano. O andamento das reformas concluídas em 2019 e as previstas para 2020 animavam o mercado. O impacto da pandemia mudou tudo e agora se fala em recessão mundial.
O economista Gilberto Barbosa concorda que o PIB brasileiro para este ano deve ser mesmo negativo e as medidas a serem tomadas neste momento devem ser para preservação de vidas e amenização de perdas na economia.
Barbosa acredita num cenário de recuperação da atividade econômica no fim do segundo semestre com a superação do surto, mas ainda assim não deve recuperar as perdas deste início de ano.
"De fato, o choque do coronavírus afetou a economia de forma muito forte, com a parada das empresas e dos serviços nas cidades. No mundo inteiro observaremos quedas parecidas e a economia mundial entrando numa recessão", analisa.
Instituições privadas projetam números mais pessimistas para o PIB. O Banco Itaú reduziu a estimativa de crescimento de 1,8% para queda de 0,7%, podendo alcançar retração de 1,6% no pior cenário. Na segunda-feira, 23, o boletim Focus, do Banco Central, divulgará a mediana das novas estimativas das instituições financeiras.
Para o Ceará, a perspectiva é preocupante visto o cenário nacional. O presidente do Instituto de Pesquisas e Estratégias Econômicas do Ceará (Ipece), João Mário de França, revela que as previsões para o PIB cearense em 2020 estão sendo refeitas para serem inclusos os impactos do coronavírus no Estado.
Ele frisa que as medidas de contenção da crise são importantes para a saúde da população, mas ruins para economia. "As atitudes do governador foram mais no sentido de preservar vidas".
No início desta semana próxima, o Ipece entrega ao governador do Estado, Camilo Santana (PT), o resultado do PIB de 2019. João Mário adianta que o resultado foi um pouco maior que a média nacional, de 1,1%.
Para o presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Ceará (Ibef-CE), Luiz Trotta Miranda, o mercado está pessimista com o cenário econômico nacional, impactado pelo Covid-19, com algumas bancas prevendo crescimento negativo de até 4%.
"Os impactos tomados pelos estados para conter o coronavírus são bem sérios, apesar de importantes para saúde. O fechamento do comércio paralisa a economia. A ideia das medidas preventivas no Brasil é não igualar o que aconteceu na China e Itália, para que aconteça uma recuperação mais rápida", observa.
Na revisão de ontem, o governo também reduziu, de 3,12% para 3,05%, a previsão de inflação oficial. Por causa da queda de demanda global e da guerra comercial entre Arábia Saudita e Rússia em torno do preço internacional do petróleo, a equipe econômica diminuiu, de US$ 52,70 para US$ 41,87, a cotação média do barril do tipo Brent, o que reduzirá o pagamento de royalties à União.
Em relação ao câmbio, o relatório aumentou, de R$ 4,20 para R$ 4,35, a previsão oficial do valor do dólar no fim do ano. (Com agências)