PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Governo de São Paulo investiga se coronavírus foi causador de mais quatro mortes

O primeiro óbito relacionado ao vírus foi registrado em São Paulo, na mesma rede hospitalar onde os outros quatro são investigados

Izadora Paula
14:30 | 17/03/2020
Infectologista David Uip (Foto: Divulgação)
Infectologista David Uip (Foto: Divulgação)

Após o registro da primeira morte causada por coronavírus (covid-19) no Brasil, o governo de São Paulo investiga se outros quatro óbitos também foram causados pelo vírus. As cinco pessoas, incluindo a que morreu devido o covid-19, estavam internadas na mesma rede hospitalar, embora não tenha sido confirmado se estavam na mesma unidade. As informações são do G1.

Conforme o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência de combate ao coronavírus, a primeira morte foi registrada em um paciente que estava internado em um hospital privado, que também teve o diagnóstico fornecido por um laboratório privado. "Ele veio a óbito ontem 16h03min e não tem histórico. Fomos informados oficialmente hoje às 10h. Existem quatro outros óbitos neste mesmo serviço particular que estão sendo investigados", completou. Segundo Uip, as informações sobre uma possível confirmação serão divulgadas logo que obtidas.

Primeiro óbito no Brasil

A primeira vítima, um homem de 62 anos, teve os sintomas no dia 10 de março e foi internado no dia 14. A morte dele ocorreu na tarde de segunda-feira, 16. O caso provavelmente não consta no balanço oficial, já que a infecção por coronavírus só foi constatada depois da morte.

Além de histórico de diabetes e hipertensão, o homem possuía hiperplasia prostática, um aumento benigno da próstata que, embora não seja uma doença, pode causar infecções urinárias. Ele não tinha histórico de viagem e teve transmissão comunitária.

“O caso desse paciente está fazendo a gente entender como se comporta a doença. Nós imaginávamos que o período de encubação da doença era de até 14 dias, mas a média está sendo de 6 a 8 dias até a doença se manifestar. Vamos inclusive sugerir ao Ministério da Saúde que diminua o tempo de quarentena de até 14 dias para dez", declarou Uip.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >