PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Confira recomendações de especialistas para melhorar a sua imunidade

Especialistas asseguram que uma boa noite de sono, além de medidas de higiene pessoal podem fazer a diferença no fortalecimento das defesas do organismo

Lais Oliveira
14:22 | 17/03/2020
A imunidade natural pode ser reforçada com uma alimentação rica em frutas e legumes, por exemplo. (Foto: TATIANA FORTES)
A imunidade natural pode ser reforçada com uma alimentação rica em frutas e legumes, por exemplo. (Foto: TATIANA FORTES)

Com o avanço da Covid-19 no Ceará, a preocupação com a prevenção aumenta. Além do novo coronavírus, resfriados e gripes são comuns durante o período da quadra chuvosa do ano. Nesse cenário, medidas simples como manter a hidratação regulada e dormir bem podem fazer a diferença para a garantir uma boa imunidade no organismo e se proteger contra essas doenças.

O sistema imunológico do corpo tem a função primordial da defesa. Para mantê-lo fortalecido contra viroses ou infecções, a imunologista Lilia Câmara, do Departamento de Patologia e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), ressalta a necessidade de cuidados rotineiros.

A especialista explica sobre uma imunidade natural do corpo que pode ser reforçada com uma alimentação rica em frutas e legumes, por exemplo. “A primeira coisa que as pessoas têm de ter em mente é a importância dos primeiros cuidados do dia a dia, como lavar as mãos. Além disso, ter uma alimentação equilibrada. A nossa imunidade natural garante a proteção contra a grande maioria das doenças. Em tempos de coronavírus, ela é fundamental”, ressalta.

Em relação aos fatores que podem enfraquecer o nosso sistema imunológico, a nutricionista Caroline Mota faz um alerta para pessoas que têm uma dieta calórica. “Os alimentos industrializados possuem apenas calorias que nos dão energia, mas não levam ao aumento de vitaminas e minerais no organismo”, afirma.

A nutricionista Ana Carolina Feitosa, do Hospital Geral de Fortaleza, concorda e acrescenta que situações de estresse, falta de repouso e sono desregulado são fatores que contribuem para abalar a imunidade. “Uma atividade física de grande intensidade também pode prejudicar o sistema imune”, complementa.

Ainda de acordo com as profissionais em nutrição, pensando no reforço do sistema imunológico não apenas na prevenção ao coronavírus, mas à doenças de forma geral, existem alimentos comprovadamente importantes no fortalecimento das defesas do organismo. Entre eles estão o extrato de própolis, as castanhas e peixes ricos em Ômega 3, como a sardinha.

 

Confira as recomendações de especialistas para melhorar a sua imunidade


Beba água
Uma ingestão hídrica adequada, de pelo menos 2 litros de água, mantém o organismo com as defesas celulares ativas. 

Realize atividade física moderada
Pensando em evitar aglomerações no momento atual, as pessoas que não têm o costume de fazer atividade física podem optar por uma caminhada diária em um ambiente privado, como a área externa da casa ou do condomínio. Não recorra a exercícios físicos exageradamente desgastes pois isso pode prejudicar o sistema imune.

Tenha uma alimentação saudável
Priorize as frutas, verduras e legumes. Um prato colorido é a melhor escolha. Opte por alimentos ricos em vitamina E, como azeite extra virgem, e zinco, presente nas castanhas, nozes e outros grãos integrais. Além disso, também procure consumir alimentos abundantes em vitamina C, como kiwi, goiaba e outras frutas cítricas.

Mantenha os índices de vitamina D adequados
A principal fonte da vitamina D se dá por meio da exposição solar. Isso porque os raios ultravioletas do tipo B (UVB) são capazes de ativar a síntese da substância. Ovos, sardinhas e iogurte também contém essa vitamina. 

Procure dormir bem
As oito horas diárias ainda são o ideal. Uma boa noite de sono ajuda o organismo a recuperar as energias. Dormir mal pode colaborar para a liberação de cortisol, hormônio do estresse que compromete a imunidade.

Veja alguns mitos e verdades relacionados ao aumento da imunidade do organismo

Purificador de ar pode evitar a contaminação com o vírus

Mito. O purificador umidifica o ar e uma recomendação indispensável é evitar deixar os ambientes úmidos porque a umidade favorece a proliferação de vírus. Depois de passar o álcool em gel em superfícies, por exemplo, deve-se enxugar completamente com um pano seco descartável, tirando o excesso de umidade. Recomenda-se, ainda, deixar de usar o o ar-condicionado durante esse período em que gripes e resfriados são comuns pois os filtros desses equipamentos acumulam diversas bactérias. O ideal é abrir as janelas para arejar os ambientes.


Tomar vitamina C todos os dias garante uma imunidade melhor
Mito. Só tomar vitamina C não vai assegurar uma imunidade melhor. Se a pessoa não estiver com deficiência da vitamina, com certeza o risco de adquirir uma doença não vai diminuir apenas com essa medida. O consumo de vitamina C é importante, principalmente por meio de frutas cítricas, mas o fortalecimento do sistema imune só será possível com um conjunto de atitudes.


Mel e própolis podem colaborar para fortalecer a imunidade
Verdade. O própolis aliado ao mel pode ser um ótimo aliado na proteção contra gripe e resfriados, além de serem bastante nutritivos. O própolis também é um antibiótico natural e tem ação anti-inflamatória.


Comer vegetais e frutas, além de peixes como salmão, bacalhau e sardinha melhoram a imunidade
Verdade. A cor dos alimentos vai influenciar na variabilidade nutricional. Cada cor é responsável por um nutriente diferente. Salmão, bacalhau e sardinha são ricos em Ômega 3, uma gordura boa que além de gerar saciedade é anti-inflamatória.

Uma gripe pode começar ou piorar depois que a pessoa tomar sorvete ou bebida gelada
Mito. Muitas vezes durante a gripe, a pessoa que tem uma rinite ou tendência a alergia pode ser influenciada pela mudança de temperaturas. Porém, apenas o alimento ingerido não é capaz de causar ou piorar uma doença. O alimento gelado, em alguns casos, aumenta a congestão nasal ou pode gerar tosse. Em algumas situações, é a reação à mudança de temperatura. A sensibilidade de cada pessoa pode influenciar. 

O Covid-19 é causado pelo coronavírus Sars-Cov-2.


Por que se chama coronavírus?

O nome "corona" se deve à coroa de espinhos que o envolve. Esses espinhos estão envolvidos por uma camada de gordura - retirada das próprias células humanas. Ele entra nessa capa de gordura para invadir outras células. Sem esta fina capa de gordura, o coronavírus morre.


Como é a transmissão do coronavírus?

Os coronavírus são transmitidos por ar e por mucosas. O vírus sobrevive bastante tempo em gotículas de espirro e tosse. Para evitar contaminação por meio das gotículas, recomenda-se ficar a pelo menos um metro e meio de pessoas com tosse ou espirrando.


O vírus também está em gotículas aerossóis. Elas são tão minúsculas e finas que ficam suspensas no ar, e contaminam principalmente pessoas que estão em ambientes fechados com ar condicionado.


Veja as recomendações da OMS para prevenir o novo coronavírus:


Lave as mãos frequentemente

Lave as mãos regularmente com álcool em gel ou com água e sabão. O álcool e o sabão matam vírus que podem estar nas mãos.


Mantenha distância social

Mantenha ao menos um a dois metros de distância entre você e pessoas que estejam tossindo ou espirrando. O vírus do Covid-19 é transmitido por gotículas que estão nos corrimentos nasais e saliva. A distância entre pessoas com sintomas de gripe evita que as gotículas cheguem a você.


Evite ficar tocando os olhos, nariz e boca

As mãos tocam todos os tipos de superfície e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz e boca. De lá, o vírus pode entrar no organismo e adoecer você.


Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar

Quando estiver rodeado de pessoas, cubra a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir. Também é possível usar lenços, que devem ser descartados prontamente depois do uso - dobre-os com a parte usada para dentro, a fim de evitar que o vírus se espalhe.


Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde

Se você está se sentindo mal, fique em casa. Caso tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde mais próximo. A partir da ligação, os agentes de saúde indicarão o que você deve fazer: se deve ficar em casa, se encaminharão um profissional, ou se você pode ir a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).


Quais os sintomas do novo coronavírus?

Os sinais do novo coronavírus se assemelham ao de uma gripe comum:


- Febre

- Tosse seca

- Cansaço

- Dificuldade para respirar em alguns casos

- Pode haver dores no corpo

- Congestão nasal

- Coriza

- Dor de garganta

- Há casos de diarreia

- Pode haver infecção do trato respiratório inferior, como nas pneumonias.

Há pessoas que não desenvolvem nenhum sintoma.

Período médio de incubação: cinco dias, com intervalos que chegam a 12 dias - período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.


Acompanhe o noticiário sobre a pandemia:


Como prevenir o coronavírus

Quais são os sintomas do Covid-19, o novo coronavírus

Saiba como os idosos devem se proteger contra o coronavírus

Quais cuidados devem ser adotados nas escolas sobre o coronavírus

Quais as orientações para viagens de ônibus durante a pandemia de coronavírus

Qual a taxa de mortalidade do coronavírus?

Igrejas recomendam evitar contato em missas para prevenir coronavírus

OMS declara pandemia de novo coronavírus; entenda o que significa

Acontecimentos ligados à pandemia de coronavírus no mundo

Entenda a diferença entre Coronavírus, Covid-19 e Novo Coronavírus

Entenda a diferença entre quarentena e isolamento

Vacina e tratamento para o coronavírus estão próximos, diz OMS

Secretaria da Saúde cria canais de comunicação para informar sobre coronavírus

Novo coronavírus ameaça o esporte mundial e Jogos Olímpicos

ACOMPANHE MAIS NOTÍCIAS SOBRE O CORONAVÍRUS

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >