PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Hackers tiveram acesso a conteúdos de e-mails Outlook

Empresa alertou os usuários na última semana sobre a falha de segurança

16/04/2019 16:11:24
Os acessos indevidos ocorreram durante o primeiro trimestre deste ano, mais precisamente do dia 1 de janeiro a 28 de março
Os acessos indevidos ocorreram durante o primeiro trimestre deste ano, mais precisamente do dia 1 de janeiro a 28 de março (Foto: Dreamstime)

Na última sexta-feira 12, a Microsoft passou a notificar seus usuários sobre uma falha de segurança em seu serviço de e-mail, o Outlook. A empresa informou que hackers tiveram acesso a uma conta de suporte ao cliente e partir disso obtiveram algumas informações dos usuários. Os responsáveis pela ação puderam acessar as linhas de assunto das mensagens e listas de e-mails recebidos, mas não os conteúdos finais das mensagens, além de senhas e endereços.

Os acessos indevidos ocorreram durante o primeiro trimestre deste ano, mais precisamente do dia 1 de janeiro a 28 de março. A Microsoft não divulgou o número exato de usuários afetados pela falha, porém a empresa explica que o ataque afetou um número limitado de contas. Apenas usuários de contas gratuitas estiveram vulneráveis durante o período, contas de e-mail corporativo como o Office 365, serviço pago da Microsoft, não sofreram riscos.

A conta de suporte que originou todo o problema já foi desativada, a empresa também orienta que seus usuários alterem a senha de suas contas. No último domingo 14, o portal americano Motherboard, especializado em ciência e tecnologia, publicou uma matéria sobre o ataque sofrido pela Microsoft que contradiz algumas informações primárias divulgadas pela empresa. Em contato com uma fonte que testemunhou o ataque, a publicação revela que os danos causados pelos hackers foram muito maiores do que os noticiados no fim da semana passada.

Segundo informações do Motherboard, a fonte confirma que hackers tiveram acesso total aos conteúdos de e-mails dos usuários, o que a empresa negou em primeiro momento. O portal também esclarece que teve acesso a capturas de tela que comprovam a informação. Confrontada pelo Motherboard, a Microsoft confirmou que também enviou e-mails notificando alguns usuários que tiveram seus conteúdos afetados, estes usuários representam 6% do total atingido pela falha.

A fonte ouvida pela Motherboard deu ainda mais detalhes sobre a finalidade da ação, que visa acessar o iCloud, sistema de armazenamento em nuvem da Apple, para remover o código de bloqueio e reiniciar aparelhos roubados e que foram bloqueados.

 

O Povo