PUBLICIDADE
Jornal
TECNOSFERA

Gerente Sênior da Samsung fala sobre o Galaxy A9, 1º smartphone do mercado com quatro câmeras

Gerente Sênior de Produto da Divisão de Dispositivos Móveis da Samsung Brasil detalhou as principais novidades do modelo

15/02/2019 16:11:24
(Foto: Reprodução/Samsung)
(Foto: Reprodução/Samsung)

O calendário de lançamentos da Samsung para o Brasil em 2019 está inaugurado. No último dia 22 de janeiro, a empresa sul-coreana realizou um evento na cidade de São Paulo para oficializar o lançamento nacional do Galaxy A9, primeiro smartphone do mercado a contar com quatro câmeras. Para conhecer mais sobre o aparelho, a coluna Tecnosfera conversou com Renato Citrini, gerente sênior de Produto da Divisão de Dispositivos Móveis da Samsung Brasil, que detalhou as principais novidades do modelo.

Lançado no exterior ainda em outubro de 2018, o aparelho chamou atenção pela sua variedade de câmeras, até então pouco vista no mercado. "As lentes ultra-wide, zoom óptico, low light e retrato dinâmico, permitem mais possibilidades aos usuários na hora de captar suas imagens", esclarece Citrini. Apesar do lançamento ser classificado como um modelo intermediário da empresa, o Galaxy A9 possui recursos semelhantes aos de modelos top de linha.

Essa proximidade se reflete no preço do produto, visto como um ponto negativo por boa parte do fãs de tecnologia. O valor inicial do Galaxy A9 sugerido pela empresa para o mercado nacional é de R$ 3.199, colocando o aparelho como o primeiro modelo da linha A com valor superior a R$ 2.500. De acordo com Citrini, "o valor sugerido é compatível com a sua ficha técnica, que se comparada com os principais concorrentes não deixa nada a desejar.

Seguindo a tendências dos demais modelos da linha A, o novo aparelho conserva o design com acabamento em vidro na parte traseira. A novidade fica por conta do degradê em dois tons nas opções de cores azul, rosa e cinza. As laterais são revestidas em alumínio e sua tela entrega 6,3 polegadas com resolução de até 1080 x 2220 megapixels.

Em relação ao seu hardware, o Snapdragon 660 desenvolvido pela Qualcomm é o chipset escolhido para integrar o Galaxy A9. Um dos principais pontos do novo modelo é a sua bateria com capacidade de 3.800 mAh, superior até mesmo ao modelo topo de linha Galaxy S9. 

Confira a entrevista realizada com Renato Citrini

(Foto: (Foto: Gustavo Scatena / Imagem Paulista))

Quais os principais diferenciais do Galaxy A9?

RC: “O A9 é o primeiro smartphone do mercado a ter 4 câmeras, uma UltraWide com 8 MP e ângulo de 120 graus, outra de 10 MP com zoom óptico, e a principal com 24 MP auxiliada por uma quarta lente de profundidade com 5 MP. Além de tudo isso, a tela do aparelho é de super AMOLED Full HD+ com 6,3 polegadas, trazendo mais resolução e uma melhor experiência para o usuário. A super bateria do A9 também ganha destaque pela sua capacidade de 3.800 mAh.

Como surgiu a ideia de produzir um smartphone com quatro câmeras?

CT: Surgiu da necessidade de dar mais recursos aos usuários, além de promover inovações para produtos que não fazem parte do segmento topo de linha da empresa. O público, principalmente o brasileiro, é apaixonado por fotos e aceita muito bem essas novidades. Mais do que 4 câmeras, o usuário tem a experiência de um fotógrafo profissional, só que com mais facilidade, ao invés de andar com aquela maleta com diversas lentes ele pode ter tudo isso na palma da mão.

A presença de 4 câmeras pode representar um maior desgaste a bateria do aparelho?

RC: De maneira alguma, pois elas não atuam simultaneamente. O usuário tem total controle da seleção de lentes, o que não representa um desgaste para a bateria do aparelho.

Como essas câmeras se integram a aplicativos como; Instagram, WhatsApp e Twitter?

RC: Devido a algumas limitações nessas plataformas o sistema dessas redes sociais tem acesso direto somente a câmera principal, mas há uma forma de contornar essa limitação. O usuário pode tranquilamente tirar fotos com qualquer uma das 4 lentes e utilizá-las nas redes sociais.

O design do aparelho traz na parte traseira um acabamento em degradê nas cores azul, verde e rosa. Junto com isso, a variedade de câmeras lembra bastante algumas características de smartphones chineses. A ideia desse conjunto e a elaboração do dispositivo foi pensado para concorrer com essas empresas?

RC: As cores cada vez mais vibrantes são muito mais por uma questão estética. Há diferentes tipos de consumidores no mundo inteiro e entender esses públicos é muito importante. Assim como o brasileiro, o público de forma geral gosta disso; cor, resolução e qualidade, o que acaba sendo uma tendência de mercado.

Extra: Assim como os últimos aparelhos da linha S e Note, o Galaxy A9 também recebeu a Bixby, assistente digital de voz desenvolvida pela Samsung. Mesmo presente no aparelho a ferramenta ainda não é compatível com a língua portuguesa. Desde o seu lançamento em 2017 a expectativa dos usuários da marca no Brasil gira em torno da atualização do recurso para a língua portuguesa. A coluna Tecnosfera buscou saber como anda a atualização desse serviço.

Há algum prazo definido para a atualização da Bixby para a língua portuguesa?

RC: Atualmente essa funcionalidade passa por um processo de refinamento na nossa unidade em Campinas, mas ainda não há uma data específica para o lançamento. O Brasil é um país muito extenso territorialmente e apresenta complexidades na sua linguagem de região para região, isso acaba dificultando a compreensão da ferramenta. Estamos trabalhando para lançar o serviço completo. 

O Povo