PUBLICIDADE

Imóvel: financiar ou alugar?

00:00 | 18/06/2019

A construção civil é um setor importante para a geração de emprego. Entretanto, como envolve valores altos, com financiamentos de longo prazo, a questão dos juros é um ponto essencial.

Recentemente, a Caixa Econômica anunciou a redução das taxas. Mesmo assim, alguns educadores financeiros continuam ponderando se esse é o momento para a contratação de dívidas.

"No Brasil não vale a pena comprar nada financiado", ressalta o educador financeiro Junior Grilli. diz. Para ele, o aluguel é uma opção mais interessante neste momento.

"Quando você financia um apartamento de 600 mil reais, por exemplo, ao final você terá pago quase três apartamentos. Ao passo que se você tiver uma educação financeira e souber investir o mesmo valor da parcela mensalmente e cuidar do seu dinheiro como fazem os suíços, americanos e europeus, você terá um rendimento suficiente para morar em um imóvel melhor".

Queda de juros

A possibilidade de confirmação de um quadro recessivo e de uma queda contínua da inflação no País pode afetar a política de juros. Alguns economistas apostam em uma queda real dos juros até o final de 2019.

"Tudo tranquilo"

A jornalista Irna Cavalcante entrevistou o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, durante o 4º Congresso Brasileiro de Auditores Fiscais, em São Paulo.

O executivo afirmou está "absolutamente tranquilo" em relação a demissão de Joaquim Levy do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ou seja: é reforçado mais uma vez que em governo não há espírito de grupo. Cada um que salve a sua pele.

energia
energia

Concorrência acirrada

O setor de energia do Ceará continua como uma das áreas mais promissoras. No próximo dia 27 haverá o leilão A-4 (para entregar energia em quatro anos), promovido pela Aneel.

Estão inscritos 142 projetos do Ceará, entre as áreas eólica e solar. A disputa deve ser forte. Como a economia está recessiva, a contratação deve ficar aquém do que se gostaria.

O coordenador do Núcleo de Energia da Fiec, Joaquim Rolim, explica que existem 1.500 projetos em todo o Brasil, mas apenas 5% devem ser contratados. O Ceará está bem posicionado em função de ações da Semace para aprovação dos investimentos. Como a competição será grande, existe esperança de redução dos preços para o consumidor.

Capacitação internacional

A diretora da Frutã e do Sindialimentos, Ana Patrícia Diógenes, esteve em San José, na Costa Rica. Participou do Curso do Instituto Latino-Americano de Gerência de organizações Empresariais. Vale registrar que a capacitação é para expansão dos negócios.

Fim o eSocial?

Empresários da construção civil são favoráveis ao fim o eSocial. O sistema pode ser substituído por um modelo mais simplificado. O presidente da Comissão de Política de Relações Trabalhistas (CPRT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Fernando Guedes Ferreira Filho, chegou a dizer que o eSocial é complexo e burocrático.

Queda de 6%

O mercado de celulares sentiu a crise de forma paradoxal. Estudo do IDC Brasil, realizado no primeiro trimestre, mostra retração de 6% em unidades vendidas. Apesar disso, houve crescimento de 8% nas receitas no período em relação a 2018.

Explicação: aumentou a venda de dispositivos nas faixas intermediárias e premium.

Redesenho urbano

O Webinário Mobilidade Urbana, promovido pelo jornal O POVO e Rádio O POVO CBN, discutiu ontem problemas do setor que estão além do fluxo de veículos. Hoje, a partir das 19 horas, nas redes sociais do O POVO, serão tratadas as ações de desenho urbano para tornar Fortaleza mais inclusiva.

Neila Fontenele