PUBLICIDADE

Aplicativos: briga por preço ameaça restaurantes

00:00 | 08/04/2019

A febre de pedidos através de aplicativos de delivery têm interferido diretamente no comportamento de bares e restaurantes.

O presidente do Sindirest/CE, Moraes Neto, explica que o momento é semelhante ao do modismo das compras coletivas: "As empresas estão trilhando, apressadamente, no meu entender, para um caminho tortuoso a fim de competir a qualquer custo", ressalta.

Moraes Neto ressalta que alguns empresários não se dão conta desse custeio e ainda fazem promoções para competir. Esse movimento tem sido bom para o cliente em um primeiro momento, e aumentado vendas para alguns estabelecimentos, mas nem todos estão preparados para competir.

Embora não haja números sobre este fenômeno, a sensação de representantes do setor é de que isso esteja ajudando no aumento "vertiginoso" da mortalidade das empresas do segmento.

POLÍTICAS DIFÍCEIS DE CHEGAR

O Mapa do Emprego, lançado sexta-feira pelo Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), mostra que o maior peso do emprego público no Ceará está nas regiões do estado em que as políticas de investimento tiveram maior dificuldade para chegar - entre elas, as regiões do Sertão de Crateús e Sertões do Inhamuns, localizadas especialmente ao sudoeste do estado.

Pesquisadores afirmam que, observando detidamente essa realidade, ao longo das últimas duas décadas, vê-se a necessidade de serem traçadas políticas públicas mais refinadas para a geração de trabalho, emprego e renda no estado.

Apesar de todos os esforços, a concessão de benefícios, sobretudo os fiscais, não alterou o quadro de informalidade das relações laborais e de dependência do emprego público.

 

PECÉM, CE, BRASIL, 18-05-2016: Mário Lima Júnior (d), presidente da ZPE Ceará e Antônio Balhmann, deputado federal licenciado e assessor de Assuntos Internacionais do Governo. Visita à  Zona de Processamento de Exportação (ZPE), no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. (Foto: Evilázio Bezerra/O POVO)
PECÉM, CE, BRASIL, 18-05-2016: Mário Lima Júnior (d), presidente da ZPE Ceará e Antônio Balhmann, deputado federal licenciado e assessor de Assuntos Internacionais do Governo. Visita à Zona de Processamento de Exportação (ZPE), no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. (Foto: Evilázio Bezerra/O POVO)

MUDANÇAS NA ESTRUTURA

A ZPE Ceará passa por mudanças na sua estrutura. Das quatro diretorias, devem ficar apenas a técnica e a comercial. Serão extintas as diretorias financeira e de tecnologia e informação. Mário Lima Júnior, presidente da empresa, deve permanecer no cargo.

Os investidores holandeses conseguiram colocar três representantes no CIPP e várias sugestões estão em análise. A próxima reunião do conselho da ZPE, marcada para o dia 11, deve homologar as mudanças.

PRESSÃO POR RESULTADOS

Mais uma vez, vale ressaltar: a ZPE Ceará é a primeira e única em funcionamento no Brasil. Até o final de 2018, a instituição era considerada modelo para outros estados, com premiações consecutivas da publicação Foreign Direct Investment (FDI), do jornal inglês Financial Times.

O Estado também mantinha a autonomia da empresa sem objeções. Com a chegada de Roterdã, aumentou a pressão por resultados e rápidos.

NOVA SENSIBILIZAÇÃO

Embora haja pressa na ZPE, a negociação com os holandeses, desde o início, gerou um efeito contrário. Um exemplo disso está no setor de granito: em 2016, 20 empresas assinaram com o governo um documento de intenção para instalação na área alfandegada.

Com a demora para o fechamento do acordo com o Porto de Roterdã, os contratos para a doação dos terrenos não foram feitos a fim de não atrapalhar as negociações. Como o tempo passou, o número de interessados reduziu, e uma nova sensibilização no setor terá de ser feita para a atração de parceiros.

A ideia de doação dos terrenos também está sendo questionada. Há uma diferença de visão de resultados: o objetivo dos investidores externos é desempenho financeiro; o do Estado, o desenvolvimento. Dentro desse contexto, a doação de espaços também está sendo repensada.

PRÊMIO NACIONAL NA AGROPECUÁRIA

A empresa cearense Rebanho S.A. ganhou dois prêmios no mercado brasileiro de agropecuária na última semana. A entrega ocorreu na 19ª Convenção Nacional dos Representantes da Nutron, empresa brasileira de suplementação animal, em Atibaia (São Paulo). O evento reuniu cerca de 300 representantes do setor.

INSPEÇÕES COM HELICÓPTERO

A Enel está implantando um novo modelo de inspeção da rede elétrica, utilizando até helicóptero em Juazeiro do Norte. A iniciativa começou a ser desenvolvida na Itália e agora chega ao Brasil. O investimento é de aproximadamente R$ 10 milhões em tecnologia para detectar, com mais precisão e rapidez, os pontos da rede com necessidade de manutenção. Até o fim de 2019, mais de 21 mil quilômetros de redes devem ser vistoriados em todas as regiões.

Neila Fontenele