PUBLICIDADE

ariel negra!

01:30 | 14/07/2019
.
.

O live-action da Pequena Sereia, que vai ser lançado pela Disney, mas ainda não tem previsão de estreia, é o assunto da internet nas últimas semanas. A questão é que a protagonista foge dos padrões estereotipados para uma parte dos fãs: a atriz que interpretará Ariel é negra.

A escalação Halle Bailey, atriz e cantora de 19 anos, marca como segunda vez que uma afrodescendente interpretará uma princesa da Disney. Em 1997, Brandy Norwood fez o papel de Cinderela no filme que contava com Whitney Houston como fada madrinha e Whoopi Goldberg como a rainha.Os debates nas redes sociais dividem o público: uns amaram a decisão pela representatividade e importância de uma princesa negra para crianças e mulheres negras, e outros acharam que a diferença entre o desenho e a atriz irá tirar a magia da personagem.

"Nós precisamos ser contadores de histórias. Não importa o exterior, não importa qual a nossa raça, nacionalidade, cor da pele, língua, se sou alta ou baixa, gorda ou magra, qual a cor do meu cabelo, nós só precisamos mesmo contar a história. O espírito da personagem é o que realmente importa. O que você traz para acrescentar à personagem em relação ao seu coração e espírito, é isso que conta", afirma Jodi Benson, voz original de Ariel.

No Twitter, a hashtag #NotMyAriel (Não é minha Ariel) foi lançada e nós da Mix já queremos uma campanha para derrubá-la. A questão é que a cor da princesa do mar envolve muito mais racismo do que "quebra de magia".

A raça é um elemento superimportante para a construção de qualquer história e as principais produções da Disney mostram isso - Aladdin, Mulan, A princesa e o Sapo (que tem uma princesa negra). Mas quem conhece a história de Ariel sabe que ela é uma sereia de cabelos ruivos, apenas isso. Cor de cabelo não é raça, e na história ser branca ou negra não faz diferença. Vai Halle Bailey, dá teu máximo que tu és maravilhosa!

TAGS