PUBLICIDADE

Jornal do Leitor: Matemática infernal

01:30 | 14/01/2020

A matemática é uma ciência exata, mas muitas vezes quem a opera não utiliza a consciência sensata. Quando um plano de saúde, por exemplo, aumenta o valor para a faixa etária onde começa a terceira idade e não subtrai do valor cobrado do usuário quando a rede de credenciados diminui, está aplicando a matemática das trevas.

Da mesma forma matemática, os governantes aumentam o peso da carga tributária sobre os ontribuintes e não aumentam na mesma proporção, os salários e rendimentos de quem produz e o que é pior, não multiplicam os benefícios sociais que poderiam retornar como investimentos. A matemática infernal vai somando com gosto, na hora de atender aos anseios das classes dominantes e vai confundindo adição com subtração, na hora de entender a ânsia de felicidade das classes dominadas.

 

Paulo Roberto Cândido

TAGS