PUBLICIDADE

Incerteza no incentivo

02:00 | 05/04/2019

O decreto nº 9682, sobre incentivos fiscais para a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) foi editado em janeiro, mas a exemplo do novo Governo, anda gerando mais dúvidas do que certezas. A legislação concede a redução de 75% no Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), conforme o enquadramento naquilo considerado essencial para o desenvolvimento dos estados. Contudo, somente se houver a aprovação orçamentária do Governo.

O diretor de tributos da KPMG, Daniel Pio, diz que a nova medida está mantendo os processos de solicitação do benefício em suspensão até que seja esclarecida a nova regra. O que anuvia é a ponderação "se houver previsões de receitas". Em se tratando de novidade, há muita desinformação entre as empresas interessadas.

A rigor, novos projetos apresentados só poderão ter efeito financeiro neste ano se houver uma medida de compensação, o que pode acabar tendo que ocorrer ao longo do ano, a depender do andamento desses projetos, alerta Pio.

"Enquanto isso, muitos processos na Sudene e na Sudam estão aguardando definições mais claras sobre como proceder", afirma.

Pela nova regra, as empresas que constroem ou modernizam empreendimentos nas áreas cobertas por Sudene e Sudam podem obter redução de até 75% do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ)

Em tempo: o presidente Jair Bolsonaro sancionou em janeiro o decreto que estendeu até 2023 o incentivo fiscal concedido a empresas nas áreas da Sudene e Sudam . Debaixo do manto de ambos os órgãos de desenvolvimento, 20 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Parebem fareja mercado

O CEO do Grupo Parebem, o operador do estacionamento do Aeroporto Pinto Martins (Fortaleza Airport, como diz a Fraport), Marcelo Nunes, diz que a empresa está em campo farejando oportunidades no Ceará. Na mira, ele lista o estacionamento do Aeroporto de Juazeiro do Norte (Orlando Bezerra), shopping e hospitais do Estado.

Sendo estacionamento um negócio tão interessante, por que shopping, por exemplo, terceiriza? Marcelo responde que o diferencial é a tecnologia e melhores práticas do mercado. No aeroporto de Fortaleza, assim como noutras praças, o atendimento é todo feito em máquinas de autosserviço. Mas o diretor de Operações, Rafael Sousa, afirma que há suporte humano em caso de necessidade. São 900 vagas hoje. Caso necessário, tem espaço ampliar.

Cerveja das dunas brancas

Uma cervejaria artesanal nascida em São Paulo, mas com essência cearense. A Terral tem no portfólio marcas praianas. A Iparana é a primeira receita (uma American IPA). O lançamento oficial aconteceu no fim da semana na cervejaria-escola Sinnatrah, em São Paulo. Foi lá onde os sócios Marcos Maia e João Walter Saunders fizeram o curso de cervejeiro básico.

Detalhe: João foi orientador de Marcos numa pós-graduação em Gestão de Projetos pela Fundação Carlos Vanzolini, ligada à Universidade de São Paulo (USP). O tema do projeto de conclusão foi justamente a abertura de novos negócios com foco em microcervejarias. O trabalho foi classificado em primeiro lugar no Seminário Internacional de Gestão de Projetos de 2016. Depois disso foram estreitando a amizade e maturando a ideia de montar a microcervejaria.

São produzidas em São Paulo e todas as receitas têm nomes de praias ou municípios litorâneos do Ceará.

Em breve: Mucuripe (American Porter), Beberibe (Witbier), Paracuru (American Lager), Sabiaguaba (American Pale Ale - APA), Taíba (Belgian Blond Ale), Canoa (Helles Bock) e Baleia (Imperial Stout).

Anjo do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou aplicação de até R$ 60 milhões em cotas do FIP Anjo. Trata-se do fundo de investimento em participações focado em empresas de perfil inovador e alto potencial de crescimento. Os recursos totais do fundo poderão chegar a R$ 120 milhões, dependendo da capacidade de captação da gestora. O foco preferencial do investimento são os setores de agronegócios, biotecnologia, cidades inteligentes, economia criativa, saúde, cidades inteligentes e tecnologia da informação e comunicação (TIC).

Horizontais

Falências - Os pedidos de falência caíram 19,4% no primeiro trimestre de 2019 quando comparado com o mesmo período do ano anterior, segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista.

Luz do Sol- A empresa Sol Poente deseja implantar usina fotovoltaica em Caucaia. Para tanto, tem outro desejo: terreno da estatal Codece no município. Começou a conversar

Jocélio leal