PUBLICIDADE

Imóveis: uma mesa aberta para negociar

02:00 | 22/03/2019

A Cooperativa das Construtoras do Ceará vai fazer um ajuste no setor de compras, a alma e razão de ser da Coopercon. Quatro empresas vão por para trabalhar na Cooperativa seus respectivos compradores: Engexata, Colmeia, J. Simões e Roldan. Por pelo menos três dias na semana, este time estará na Coopercon com a tarefa de ir às compras farejando melhores negociações para todos os cooperados.

A mexida é um movimento do setor no sentido de otimizar custos ainda mais, ante uma temporada de ventos fracos a persistir. O estoque de apartamentos ainda é muito alto em Fortaleza. Haverá pouquíssimos lançamentos neste ano. No setor de salas comerciais o cenário exige ainda mais dos incorporadores.

Como se vê, após os anos trepidantes, quando faltava sala disponível na Cidade e o setor foi lá e construiu, hoje é preciso pegar pesado na venda do que há. Há algum consenso entre as empresas de que lucro quase não tem, ou nem existe. Vendas abaixo do custo se explicam pela necessidade de honrar os financiamentos bancários.

Mas o que é extenuante para quem constrói e vende significa oxigênio para quem pode comprar. É uma conta inversamente proporcional sempre. Como revelaram as estatísticas da Lopes Immobilis, em Fortaleza, o começo do ano teve a venda de 358 unidades. No mesmo período no ano passado, 335. O momento ainda permite ir à mesa e negociar com alguma certeza de poder de barganha acima do normal.

Em tempo: duas das principais entidades do setor da construção civil do Ceará terão mudança de comando em 2019. Para a Coopercon, há um nome para suceder Emanuel Capistrano, que voltar a entrar de cabeça na Mota Machado: o diretor da base, Sérgio Macêdo. Eleição no final de abril. Para o Sinduscon, como em todas as eleições todos falam no vice José Carlos Gama, que, como sempre, evita. Outro nome citado é o de Patriolino Dias, hoje entre Nova York e Fortaleza (ele chegou ontem). Em junho, ele encerra a temporada novaiorquina.

Coco para cimenteira

Desde setembro do ano passado, a Votorantim Cimentos, em Sobral (CE), tem comprado coco babaçu in natura, que antes era descartado, para substituir parte do combustível fóssil no forno. Bom para os agricultores familiares da Serra da Meruoca, leiam-se os municípios de Meruoca, Alcântaras, Massapê e Sobral. Segundo a fábrica, entre as cinco comunidades que cultivam coco babaçu, foram negociadas, em um mês, 190 toneladas do fruto para a indústria, o que gerou uma renda efetiva de R$ 19 mil e compartilhada entre 40 beneficiários. Este ano, um complexo de beneficiamento do coco babaçu será construído na região para as famílias intensificarem a produção de óleo e comercializarem para a indústria alimentícia e cosmética. A oportunidade é oferecida por meio do Programa ReDes, uma iniciativa da Votorantim Cimentos, Instituto Votorantim e BNDES.

Psiquiatra Ana Beatriz Barbosa
Psiquiatra Ana Beatriz Barbosa

TEDxFortaleza

A sexta edição do TEDxFortaleza ocorre neste domingo no Teatro RioMar. Palestras com até 18 minutos de duração. No time de palestrantes, o escritor e jornalista Fabrício Carpinejar e a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa (foto).

Novo posicionamento

O Club Med Itaparica, um dos mais importantes resorts de luxo da Bahia, em Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, vai cerrar portas em julho. Alega estratégia mundial de focar em resorts que evoluem para um posicionamento Premium.

Ceará 2050

Até o dia 3 de abril, o Ceará 2050 realiza a segunda etapa de encontros regionais, percorrendo de forma itinerante as 14 regiões de planejamento do Estado. Na primeira etapa, em junho do ano passado, nas 14 regiões, os participantes apresentaram sonhos e anseios para o Ceará de 2050. Material foi coletado, sistematizado e debatido com outros grupos. Gerou 29 objetivos a serem alcançados a partir dos projetos que agora são apresentados.

Jocélio leal