PUBLICIDADE

A maldade é contemporânea

05:00 | 24/02/2019
Eduardo Diatahy B. de Menezes, sociólogo, professor 
e escritor
Eduardo Diatahy B. de Menezes, sociólogo, professor e escritor

O professor emérito da Universidade Federal do Ceará (UFC), prof. titular do Doutorado e Mestrado em Sociologia (UFC) e prof. titular do Departamento de Ciências Sociais (Uece), Eduardo Diatahy B. de Menezes, escreveu a propósito da Coluna do último domingo, intitulada "O efeito manada, mais nada". O texto comentava o açoite virtual da então diretora de Vogue Brasil, Donata Meirelles, por conta de uma foto na qual, para muitos, ficou sugerido racismo, em virtude de uma cadeira e de mulheres negras com roupas e turbantes brancos ao seu lado, em festa na qual comemorou seu aniversário de 50 anos na Bahia.

"Jocélio, caro amigo: vou me informando com seus textos e me divirto com sua ironia socrática que faz o interlocutor pensar!

Mesmo quando você, ao invés de bons informes econômicos, difunde coisas más como os deste domingo.

Mas, neste, não sei se era coisa sua ou de alguma citação (NR: Era uma citação de texto sobre o episódio) e isso pouco importa, quando faz sua reflexão sobre Donata Meirelles refere sua representação ao período Colonial - aliás, é comum nos escritos generalizados fazer referência ao período Colonial ou à Idade Média como esses fossem o repositório das maldades humanas!

A maldade mais perversa em todos os sentidos é Contemporânea: nunca a humanidade foi tão perversa como agora...

Ora, o modo de produção escravocrata era comum no Período, quando Portugal e Espanha dominavam e os reinos da Inglaterra e de França eram os maiores traficantes na venda de escravos. Ruim mesmo foi a escravidão de nosso período Reinol e Imperial, com liberdade política, com regime político parlamentar e a 'sabedoria' de Pedro II, nós fomos um dos últimos a abolir a escravidão, e uma das maiores ações contra isso vinham das Ordens Religiosas (e até mesmo dos Carmelitas), etc. O pior de tudo é a cultura que herdamos cheia de intolerância, até mesmo do povo...

Todas as sociedades humanas já formadas como estado sempre foram escravocratas (mesmo as mais antigas como Pérsia, Grécia antiga, Roma, Egito etc.). Talvez só as sociedades humanas arcaicas não tinham escravos, mas vivam sempre a se guerrear umas com as outras. Portanto, as maiores maldades e humilhações da Humanidade são contemporâneas. A abolição e a fraternidade sem intolerância são uma velha utopia distante pelas quais o lado não-sombrio da humanidade vai continuar lutando persistentemente! Veja por exemplo a Declaração dos Direitos do Homem, proveniente da Revolução Francesa, tinha como lema: Liberdade, Igualdade e Fraternidade - alguma coisa foi feito politicamente e na justiça dos dois primeiros valores, mas a Fraternidade permanece como um horizonte distante nessa luta. Historicamente, nós somos ainda uma espécie primitiva, cuja evolução ainda terá muitos milênios pela frente...".

MELHOR NÃO

Em caso de roubo a mão armada de Iphone, a orientação da Ciops, a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança do Ceará, também conhecida como 190, é ligar o rastreador do aparelho, localizar onde os ladrões se meteram, seguir para as imediações (tendo o cuidado de não se aproximar muito) e aí sim chamar a PM. Tá bem, obrigado.

SEM APARATO

João Amoêdo, chegou ao O POVO na quinta à tarde para dar a entrevista publicada hoje nas páginas Aguanambi, como carona em Trailblazer do novo presidente estadual, Geraldo Luciano. Zero entourage. Com patrimônio declarado ao TSE de R$ 425 milhões, disse à Coluna que no passado já foi sócio de amigo em jatinho, mas desistiu. Veio de Gol, com direito a decolagem abortada no Galeão.

MEC LANCHE

O Ministério da Educação liberou, no último dia 18, R$ 5,41 milhões às instituições federais de ensino do Ceará. Dinheiro para manutenção, custeio e pagamento de assistência estudantil, entre outros. Do total, R$ 1.8 milhão UFC, R$ 1.1 milhão à Unilab, R$ 377.276 à UFCA e outros R$ 1.9 milhões ao IFCE. No Brasil, R$ 132,71 milhões. Em verdade, apenas recursos já previstos no orçamento.

SOCIAL NA COMISSÃO

O deputado Audic Mota (PSB) propôs acrescentar temas relativos à área social na proposta apresentada pelo deputado Salmito Filho (PDT) para criação de uma Comissão Especial de Desenvolvimento das Regiões de Planejamento do Ceará. A rigor, vai ao encontro do sentimento médio da população de que as ações propostas levem em conta as demandas reais das pessoas.

JOGO RÁPIDO

Já é mais do que um balão de ensaio a intenção do ministro Paulo Guedes de fundir Banco do Nordeste e BNDES. A favor do BNB, o momento inoportuno para desagradar a bancada do Nordeste, em meio à chegada da Reforma da Previdência.

Jocélio leal

TAGS