PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Guia aponta potencial do Ceará para eólicas no mar

00:00 | 15/02/2019

O BTG Pactual elaborou um relatório sobre o setor de energia eólica. Nele, os analistas do banco destacam a relevância da geração eólica em escala global e como a matriz vem ficando cada vez mais relevante no cenário brasileiro. O estudo "Brazil Wind Generation Guidebook", todo em Inglês, em tradução livre Guia da geração de vento no Brasil, mira nos investidores internacionais e apresenta o Ceará como uma das áreas que deverão despontar como geradoras de energia eólica offshore (com torres no mar). Além do estado, citam Rio Grande do Norte, Maranhão e Piauí. Quanto à geração onshore (em terra), destaque para a região central de Pernambuco, Nordeste da Bahia, Sudeste do Piauí, Sul do Rio Grande do Norte, Norte de Roraima e Leste do Paraná. Estas poderiam ter novos parques instalados, aproveitando o desenvolvimento da tecnologia no setor.

Para a geração offshore, a profundidade oceânica no Nordeste é relativamente pequena, especialmente no Ceará e no Rio Grande do Norte, onde às vezes é possível uma profundidade máxima de 50m, às vezes até 70km da costa. Segundo o estudo, esta característica geográfica poderia tornar os dois estados a principal porta de entrada para essa nova fonte de energia eólica, com uma grande diferença de custo em relação aos locais profundos no mar.

"Quase todas as margens do Maranhão, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte têm um regime estável de ventos e altas velocidades médias, condições perfeitas para a capacidade eólica offshore adicional", frisa o trabalho elaborado por João Pimentel e Felipe Andrade. Além disso, as turbinas eólicas onshore e offshore estão sendo construídas a quase 200 metros de altura (as pás mais longas permitem que mais energia eólica seja capturada e rotores maiores tornam uma turbina menos sensível a variações na velocidade do vento, o que reduz a eficiência de uma turbina).

A estatal Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, prevê novos patamares de capacidades ainda a serem contratadas por meio de novos leilões de energia. Neste cenário, o BTG Pactual cita a adição na capacidade de vento de 30GW até 2027. "Apesar do notável progresso da geração de energia eólica no Brasil, a essa taxa de crescimento alguns investidores podem estar preocupados com a proximidade do País de sua capacidade exploratória máxima", pondera o estudo para em seguida responder: Mesmo que o Brasil mantenha a excepcional taxa de crescimento de 45% ao ano, levaria mais de 40 anos para o País atingir seu potencial máximo de capacidade instalada em terra. No entanto, exorta, ainda podemos ver mais crescimento vindo da geração eólica offshore.

Enquanto ainda não há plantas sendo desenvolvidas com essa "tecnologia, alguns estudos já foram iniciados, liderados por empreendimentos com gigantes do petróleo, como Petrobras, Total e Equinor, por exemplo. A leitura do estudo é a de que como a principal região produtora de energia eólica, o Nordeste poderia se beneficiar ainda mais dos recentes desenvolvimentos na indústria eólica (por exemplo, rotores maiores, capacidade de turbinas e as torres mais altas).

RESPOSTAS

Workshop para entrar o ano

O físico Samuel Pessoa, doutor em economia pela USP e pesquisador da FGV vai conduzir o "Workshop Brasil 2019 - Perspectivas Econômicas", com mediação do ex-deputado estadual Carlos Matos, promotor do evento, via Trainer DG. Serão discutidos temas como: a retomada da nossa economia é sustentável, é correto apostar em elevação do consumo interno, em que medida a retomada depende das reformas, quais as possibilidades de desvalorização do dólar, como o Ceará sofrerá os efeitos nos diferentes cenários nacionais. Dentre outros.

JOGO RÁPIDO

Na próxima semana, o gestor nacional de legalização da Extrafarma estará em Fortaleza. Os donos desta imensidão de pontos das farmácias são diversos. A briga é pela ocupação de território. A lógica é estar no caminho do cliente, de preferência voltando para casa.

CIC

Rapadura

e chocolate,

coalho e emental

O Centro Industrial do Ceará (CIC) promove de segunda a quarta-feira (18 a 20) o evento "Conexão Ceará - Suíça". Dentre os convidados, representando a GGB Invest Western Switzerland, Hamilton Belizário, que tratará do tema "Internacionalização na Suíça"; e do Centro de Inovação CSEM Brasil, Danielle Moraes, que falará sobre "Acelerando o futuro". Marca o centenário do CIC, presidido hoje por André Siqueira. Haverá visitas ao Senai de Maracanaú e ao Instituto Federal do Ceará (IFCE).

VAREJO

Três poderosos do Brasil

A pesquisa "Os Poderosos do Varejo Global 2019", elaborada pela Deloitte, lê o cenário no varejo em meio ao processo de saída da recessão econômica. No ranking, três grandes empresas brasileiras: Lojas Americanas, na 178ª posição, seguida pela Raia Drogasil (223ª) e pelo Magazine Luiza (249ª). No ranking global, gigantes como Walmart e Amazon aparecem nos chamados Top 10, com Walmart em primeiro lugar, mantendo sua posição de maior varejista de todo o globo.

 

O Povo