PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

"CEARÁ 2050" CONTRA O IMEDIATISMO

05:00 | 10/02/2019
ÁGUEDA MUNIZ, secretária de Urbanismo e Meios Ambiente de Fortaleza
ÁGUEDA MUNIZ, secretária de Urbanismo e Meios Ambiente de Fortaleza

Não foi de ontem. Ao longo dos anos, o Brasil e seus estados foram perdendo a capacidade de se planejar. Já vai longe o tempo em que a reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) era evento concorrido, na sede, em Recife, com a presença dos nove governadores da região e mais Espírito Santo e Minas Gerais, também integrantes do chamado Polígono das Secas. Nos estados, a gestão passou a reinar absoluta, ante a necessidade de planejar.

Mas o Ceará dá uma lição importante a partir de duas experiências nascidas em Fortaleza. Uma foi o Fortaleza 2040, um planejamento para a cidade de Fortaleza com estratégias a serem implantadas no curto, médio e longo prazo (tendo como horizonte o ano 2040), contemplando: Plano Mestre Urbanístico; Plano de Mobilidade; e Plano de Desenvolvimento Econômico e Social.

O referido programa não foi nem sequer citado na campanha à reeleição do atual prefeito, Roberto Cláudio (PDT), por um cuidado. Havia a preocupação em não carimbar a iniciativa como um ato de Governo e, por extensão, com viés eleitoral. A ideia era a de que se o Capitão Wagner (Pros) vencesse aquela disputa, não fosse jogado fora tudo aquilo construído pela plêiade de técnicos convocados para a elaboração.

A construção do plano foi feita com visão sistêmica e considerando-se que, uma vez que tudo está sediado em Fortaleza, todas as ações impactam na economia como um todo. As sugestões sobre o ambiente institucional miraram no objetivo de tornar o ambiente de negócios melhor, facilitar e fomentar a atividade empresarial, com investimentos públicos contínuos orientados pelo planejamento. Defendeu que a esfera pública deva criar o ambiente de negócios propício para atração de investimentos privados e alavancar a arrecadação de impostos pelo desenvolvimento da economia local. Está lá no Plano.

E eis que após o Fortaleza 2040, o Governo tomou gosto e lançou o Ceará 2050. A iniciativa, em atitude sensata, saiu do Governo para ser coordenada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), por meio da Fundação Astef, um braço da instituição com experiência em estudos e projetos para o mercado. A plataforma desenha estratégias para acelerar o crescimento econômico nas próximas três décadas. Mas, para além disso, se propõe a atender de modo mais eficiente as expectativas da sociedade pela oferta de serviços essenciais - saúde, educação, saneamento, segurança pública e geração de trabalho. Tudo aquilo que preenche os discursos oficiais.

Para ser feito, e eles está em fase de discussão e detalhamento, a partir de uma maratona de visitas e debates na Capital e no Interior, muita gente foi ouvida. Governo, Academia, empresas privadas e os chamados movimentos sociais. A meta é entregar o resultado em abril, mas não será surpresa se demorar um pouco mais. No rol de temas cujas propostas compõem o conteúdo, estão a indústria 4.0 e a economia do mar. O Ceará 2050 aponta os rumos, com base nos estudos e nas auscultas das pessoas interessadas em cada área pesquisada.

O coordenador geral é o professor Barros Neto (UFC). Com ele, integram o núcleo de coordenação do Ceará 2050 o engenheiro químico Expedito Parente Júnior; o engenheiro, professor da UFC e ex-presidente da Cagece, Antônio Miranda; o ex-secretário da fazenda do Ceará, Lima Matos; e o arquiteto e urbanista Airton Montenegro. Este time toca o time multidisciplinar, em parte da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag).

Barros diz não se tratar de uma entrega a ser feita ao Governo. Será uma plataforma a ser oferecida a todos os segmentos. Aberta. De todo modo, sabemos, em larga medida, seus efeitos dependerão da capacidade dos governantes de plantão - seja quem for - de levar em consideração que gestões são feitas enxergando longe, livrando-se do imediatismo.

ÁGUEDA NO

CAFÉ DO LIDE

O Lide Ceará começa o calendário de evento de 2019 com café debate tendo como convidada a secretária de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza, Águeda Muniz. Ela abordará "a eficiência na gestão pública favorecendo o ambiente de negócios". A palestra acontece no próximo dia 20 (quarta), às 8 horas, no Hotel Gran Marquise. O evento é exclusivo para filiados e convidados da entidade. Águeda vai defender a modernização implantada na alçada dela.

ATENÇÃO

PARA O PLANTÃO

No regime de plantão neste fim de semana, no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), o atendimento ficou com o desembargador Inácio de Alencar Cortez Neto e juíza convocada Rosilene Ferreira Facundo. Ontem foi dia de Inácio. Hoje de Rosilene. O plantão vai de 12h às 18h, no andar térreo do Palácio da Justiça, no Cambeba. Já no Fórum Clóvis Beviláqua, o plantão fica a cargo da 34ª e 35ª Varas Cíveis e da 11ª e 12ª Varas Criminais da Capital.

Jocélio leal