PUBLICIDADE

Pente-fino do INSS

18:26 | 30/07/2019

Cerca de 275 mil aposentadorias por invalidez e mais de 452 mil auxílios-doença foram suspensos, até agora, pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Os dados, repassados à Coluna, são da Subsecretaria da Perícia Médica Federal, e integram o balanço da primeira etapa do pente-fino nos benefícios para combater fraudes. O INSS notificou, no primeiro semestre, segurados com benefícios considerados suspeitos. As irregularidades mais comuns são acúmulo indevido de benefícios, pagamento pós-óbito e obtenção de benefícios de forma criminosa, com a apresentação de documentos falsos ao INSS.

Recurso

Os segurados incluídos no pente-fino são comunicados por carta e caixas eletrônicos da rede bancária. O trabalhador urbano tem 30 dias para apresentar recurso; o rural, 60. Caso o INSS não aceite o argumento do segurado, o pagamento é cancelado.

Hackers

Causa estranheza a demora das operadoras de telefonia móvel e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em anunciar medidas de segurança para combater a atuação de hackers após a revelação da invasão de aparelhos de inúmeras autoridades.

Sigilo

As investigações da Polícia Federal que levaram à prisão da quadrilha cibernética identificaram falhas e brechas que facilitaram a atuação dos criminosos. A PF, inclusive, enviou ofício à Anatel, mas o assunto é mantido sob sigilo pela agência.

Previdência

O Planalto vai turbinar a campanha publicitária da reforma da Previdência, já aprovada em primeiro turno na Câmara e passará por votação – também em dois turnos – no Senado. Os valores ainda estão sendo fechados, mas o plano, bancado com recursos público, é ampliar os comerciais de televisão e postagens em redes sociais.

R$ 51 mi

À Coluna, a Secretaria de Comunicação da Presidência posiciona que, para o segundo semestre, ainda “não há dados consolidados a informar”. Informa ainda que, até agora, para as ações de divulgação da Nova Previdência, “foram alocados os valores de R$ 51.050.000,00 para a execução de serviços especializados em publicidade e mídia”.

Língua insana

Jair Bolsonaro se complica com a língua insana. Falar em beneficiar filho, em tratar com mineradoras e atacar o presidente da OAB citando seu pai, num troco sobre o ataque de Santa Cruz a Moro, só contribui para perder mais apoio popular.

Opinião

Não à toa, por essas e por outras, Bolsonaro ostenta, nas recentes pesquisas de opinião, o pior resultado em primeiro mandato desde Fernando Collor de Mello, em 1990.

Mais um

O general Oswaldo de Jesus Ferreira é um dos cotados para assumir a presidência da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Sebastião Barbosa, ex-presidente da empresa, foi exonerado há duas semanas.

Na mesma

Dois anos e sete meses depois da crise dos presídios, quando mais de 130 detentos foram mortos, o sistema carcerário brasileiro permanece o mesmo: caótico e ineficiente. O Plano Nacional de Segurança, anunciado à época pelo então presidente Temer, não vingou e, no Governo Bolsonaro, os presídios não figuram entre as prioridades.

Carnificina

Resultado da leniência da União e dos estados: mais uma carnificina – com 50 mortos -, em Atamira, Pará. Estado que, de acordo com recente auditoria do TCU, não aplicou recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) para a criação de novas vagas em presídios.

Fake

Um vídeo que circula nas redes sociais sugere que a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), fora vítima de latas arremessadas durante o Fortal, carnaval fora de época de Fortaleza. O partido diz que é fake; a deputada não estava em Fortaleza na data da festa.

Hepatites

As cúpulas do Senado e da Câmara estão iluminadas de amarelo para marcar a campanha contra as hepatites virais. O Ministério da Saúde estima que 1,7 milhão de brasileiros sejam portadores do vírus da hepatite C e 756 mil portadores do vírus da hepatite B.

Coluna Esplanada