PUBLICIDADE

Editorial: Águas de São José

01:30 | 01/03/2020

O mês de março é especial para a fé e a esperança do sertanejo. Mês do padroeiro São José, período em que se inicia a época mais chuvosa do ano, nos meses de março e abril. Em quatro dos últimos seis anos, março foi o mês quando mais choveu. Na última sexta-feira, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgou o prognóstico para o próximo trimestre - março, abril e maio - abrangendo até o fim da quadra chuvosa cearense. O cenário é animador.

O prognóstico indica 40% de probabilidade de as chuvas serem acima da média no trimestre que se inicia. E 40% de a chuva ficar dentro da normalidade. A chance de chuvas abaixo da média são de 20%. É, portanto, grande a possibilidade de boa quadra. O ano de 2020 não deve ser de seca no Ceará.

O quadro otimista é uma das melhores notícias que o cearense pode esperar. Sinal alentador para recuperação das lavouras, para os rebanhos e, principalmente, para abastecimento humano. Ainda assim, o quadro está longe de ser confortável. O estrago de uma das mais prolongadas estiagens da história, de 2012 a 2016, ainda se faz sentir. Os reservatórios ainda não se recuperaram. Hoje, os açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) acumulam 15,8% do volume total. Maior reservatório do Estado, o Castanhão está com 2,6% da capacidade. Segundo maior, o Orós, tem 4,7%. Terceiro maior, o Banabuiú tem 6%.

O Ceará atravessou uma emergência hídrica das mais drásticas jamais registradas. A população da Capital sentiu o impacto na tarifa de contingência que passou a ser cobrada na conta de água, mas muitos municípios do Interior sofreram com a falta de água nas torneiras, racionamentos e abastecimentos por carros-pipa.

Não basta um ano de boas chuvas. O Ceará precisará de anos seguidos de precipitações acima da média para recompor as reservas hídricas. Em 2017, 2018 e 2019, as chuvas ficaram sempre perto da média, pouco acima ou pouco abaixo. Mas, sempre distribuídas de forma irregular. No ano passado, por exemplo, choveu bastante no litoral, enquanto Cariri, Sertão Central e Inhamuns tiveram estiagem.

O ano de 2020 começou bem, com chuvas em fevereiro acima da média em todas as macrorregiões. O primeiro mês da quadra confirmou o cenário apontado como mais provável no prognóstico da Funceme, o que reforça a confiança de que o cenário para o próximo trimestre também tende a ser positivo.