PUBLICIDADE

Consórcio do Nordeste

02:00 | 17/03/2019

O Fórum dos Governadores do Nordeste tomou uma decisão importante ao criar um consórcio para integrar os estados da região. O Consórcio do Nordeste foi instituído como um "instrumento político e jurídico" com o objetivo de integrar os governos, firmar parcerias, possibilitar a realização de compras conjuntas (para economizar recursos), promover o manejo de bacias hidrográficas e a execução de ações na área da segurança. Sem dúvida, medida bastante saudável e adequada à conjuntura em que o País vive. Substitui-se a ação isolada pelos interesses conjuntos do Nordeste, o que favorecerá a cada estado, contribuindo para o desenvolvimento geral. A proposta foi acertada esta semana, em São Luís, no Maranhão, com a presença de representantes de todos os estados da região, sendo oito governadores e um vice-governador (Alagoas).

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve o pior desempenho eleitoral na região nordestina, sendo derrotado em todos os estados. Dos nove governadores da região, quatro são do PT, dois do PSDB, um do PCdoB, um do PDT e um do MDB. No entanto, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) afirmou que o Consórcio do Nordeste não tem posicionamento político ou ideológico: "O fórum não tem posição a favor ou contra o governo. O que nós desejamos é o respeito à federação", disse ele. O governador do Ceará, Camilo Santana, destacou que o objetivo do fórum é "fortalecer as políticas públicas para o País e o Nordeste, dentro daquilo que é consenso".

Mas os governadores incluíram na pauta também questões políticas, como a reforma da Previdência e a PEC da desvinculação do Orçamento, que acabaria com os percentuais obrigatórios de gastos com saúde e educação, por exemplo, manifestando-se criticamente nas duas questões. É fato que as divergências políticas existem e têm de ser levadas em conta, mas é importante que se tenha em vista a manutenção das relações institucionais. Assim, é importante que tanto os governos estaduais quanto o federal tenham a exata noção da responsabilidade que cabe a cada um, para que o debate político não prejudique os interesses da região e do País. n